Pedro Parente diz que não haverá indicações políticas na Petrobras

Em sua primeira declaração pública, o novo presidente da Petrobras, Pedro Parente, afirmou nesta quinta-feira (19) que definiu com o presidente interino Michel Temer que não haverá em sua gestão indicações políticas para cargos na empresa estatal.

Segundo ele, a condição facilitará as escolhas do conselho de administração da companhia nacional e influenciou em sua decisão de aceitar assumir o posto de comando.

“Não haverá indicações políticas na Petrobras, o que foi uma orientação clara do presidente Michel Temer”, disse. “Isso vai facilitar muito a vida do conselho de administração e a minha própria vida porque, se fosse o caso, o que não será, certamente não seriam aceitas”, disse.

Na entrevista, Parente disse que foi uma “grande honra” ter sido convidado para assumir o cargo e reconheceu que o posto não estava em seus planos iniciais. Ele defendeu que a governança da empresa estatal seja aperfeiçoada e que ela se torne “estritamente profissional”. Assim, segundo ele, haverá a possibilidade dela enfrentar seus atuais desafios.

O novo dirigente antecipou ainda que conversará com o conselho de administração antes de tomar decisão de manter ou exonerar os atuais diretores da empresa estatal. Segundo ele, os mecanismos de governança funcionarão na companhia de petróleo “como têm que funcionar em qualquer empresa de primeiro porte”.

“Eu posso manter, eu posso tirar (os atuais diretores). Isso é uma prerrogativa do presidente executivo da Petrobras, registrado que isto, obviamente, é uma conversa que tem que ser aprovada pelo conselho de administração”, disse.

Em nota, o presidente interino ressaltou que tem certeza que o conselho de administração da empresa “coordenará uma transição profissional e transparente”.

Como a nota divulgada pelo presidente interino, Parente elogiou o atual presidente Aldemir Bendine. Segundo ele, o executivo trabalhou arduamente e sua gestão não pode ser desconsiderada. Para Temer, Bendine conduziu com “muito êxito” o início da recuperação da Petrobras.

“Bendine revelou suas qualidades de dedicado executivo, reproduzindo trajetória de sucesso antes alcançada no comando do Banco do Brasil”, ressaltou o peemedebista.

Fonte: (Folha de S.Paulo)

X