Paranaguá investe em infraestrutura para embarcar açúcar

O Porto de Paranaguá está investindo em infraestrutura para ter também logística de ponta para embarque de açúcar, assim como possui em grãos. A partir de 2011, o porto contará com equipamento que vai agilizar em 60% o embarque do açúcar ensacado.

Com investimentos de R$ 30 milhões, a empresa Marcon, operadora do Terminal Exportador de Açúcar de Paranaguá (Teapar), adquiriu o shiploader CNGL 3000/1000, carregador totalmente mecanizado que já foi testado em Paranaguá e sinaliza um embarque diário de 3,6 mil toneladas ante um volume máximo de 2,5 mil toneladas diárias atualmente. O novo instrumento reduzirá os custos de embarque em torno de US$ 7 a US$ 10 por tonelada de açúcar.

Do total de açúcar ensacado exportado pelo Brasil, cerca de 23% são exportados através do Porto de Paranaguá. O açúcar ensacado tradicionalmente já passou por um processo de industrialização, sendo do tipo cristal ou refinado (branco).

– O equipamento dá agilidade às operações, reduz o tempo em que o navio fica atracado e, assim, garante maior rentabilidade para nossos clientes – explica Cláudio Gustavo Daudt, responsável pelo Teapar.

O carregador funciona como um escorregador em espiral, que distribui os sacos de açúcar de forma uniforme no porão das embarcações.

O uso do equipamento classificará Paranaguá como Delivereable Port na Bolsa de Açúcar Branco de Londres, que permite a comercialização do produto no sistema de negociações. Com isso, o terminal paranaense garante segurança na entrega da carga aos importadores e tem mais liquidez nos preços, de acordo com nota do porto.

– Com a mecanização e maior regularidade nos embarques, os problemas de fila de navios e irregularidades no embarque diminuem sensivelmente, fazendo com que importadores possam se programar melhor, reduzindo seus estoques e consequentemente seus custos – explica Daudt.

Para o superintendente da Administração dos Portos do Paraná, Mario Lobo Filho, o carregador mecanizado vai consolidar Paranaguá como um dos terminais preferenciais para o embarque de açúcar.

– Atualmente, somos o segundo porto do país que mais exporta o produto e, vale lembrar, Santos tem o dobro do número de berços de atracação e a vantagem de estar localizado mais próximo às usinas da Região Sudeste e Centro-Sul – compara ele.

O porto de Paranaguá foi responsável pela movimentação de aproximadamente três milhões de toneladas de açúcar entre os meses de janeiro e setembro. Neste período, o volume de açúcar ensacado foi de 473,3 mil toneladas, superior em 54% ao mesmo volume registrado em igual período do ano passado.

X