Para ministro do MME, importação de etanol faz setor sucroenergético viver “seu pior momento”

Coelho Filho, ministro do MME na abertura do Ethanol Summit: “ações emergentes” contra o etanol importado (Foto: Alessandro Reis)

O ministro de Minas e Energia (MME), Fernando Coelho Filho, disse na abertura do evento Ethanol Summit, na tarde de segunda-feira (26/06), na capital paulista, que “o setor de etanol vive hoje seu pior momento, até mesmo pior que no passado recente.”

Coelho Filho referia-se ao crescimento da importação de etanol. “Desde o começo de janeiro o momento do setor sucroenergético agravou-se mais”, afirmou o ministro.

Ele defendeu a implantação do programa RenovaBio, criado pelo seu Ministério em dezembro passado e que cria regras para o mercado de etanol. “Mas temos que brigar emergencialmente”, disse, referindo-se ao etanol importado.

começo de janeiro se agravou mais. Mas se queremos chegar no futuro, com o RenovaBio, temos que brigar agora emergencialmente. Nos primeiros seis meses do ano já sofremos.

“É evidente que os problemas estão mais do que identificados e nem todos estão na alçada do Ministério de Minas e Energia. Mas queremos, com a ajuda de todos, fazer valer”, afirmou. “Começamos a fazer algumas medidas, com resoluções no Conselho Nacional de Política Energética.”

“Não tenho nada contra a importação, mas que ela se dê em pé de igualdade com a produção nacional. A nacional não deve ser privilegiada, mas reconhecida pela sua importância”, emendou Coelho Filho no evento, na capital paulista.

 

 

X