País vai explorar nova fonte não convencional, o gás de carvão

O gás de xisto americano está transformando o mercado mundial de energia. Mas a Austrália está para iniciar a produção em grande escala de uma outra fonte não convencional de gás, o gás de carvão (“coal seam gas”, em inglês, também conhecido em português como metano de hulha).

Esse metano se forma nos estratos subterrâneos de carvão. Ele é extraído por meio da perfuração de poços, cuja profundidade varia de 200 a 1.000 metros.

O gás de carvão já é produzido em pequena quantidade hoje na Austrália (cerca de 10% da produção nacional de gás). Mas nos próximos anos entrarão em operação no país os maiores projetos de extração de gás de carvão do mundo. Esse gás irá para liquefação e posterior exportação.

Apenas um desses projetos, da empresas QGC (subsidiária da BG), vai perfurar na fase inicial 2.000 poços no Estado de Queensland. Ao final, 6.000 serão perfurados.

Essa rede de poços precisa ser conectada com centrais de processamento do gás por meio de dutos. A QGC está construindo 540 km de dutos para levar o metano até a planta de liquefação de Gladstone.

Só os três projetos de GNL de Gladstone serão abastecidos por gás de carvão. Os demais quatro em construção na Austrália usarão gás natural convencional.

X