País precisa investir em fontes de energia

Planejar o futuro para as próximas décadas consiste também em direcionar quais investimentos serão feitos em fontes de energia que sustentem o crescimento do país. O Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) divulgou ontem o estudo ´Sustentabilidade ambiental no Brasil: biodiversidade, economia e bem-estar social`, onde discute a necessidade de determinar quais serão os investimentos em energia nos próximos anos, definindo que prioridade terão as fontes renováveis.

Mesmo com o percentual elevado (45,9%) de energias renováveis no Brasil, em comparação com a média dos demais países (12,9%), o estudo aponta que haverá um aumento no consumo de energias fósseis. O xadrez do planejamento consiste adequar os investimentos previstos de R$ 767 bilhões entre 2008 e 2017, segundo a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), em fontes de energia que favoreçam a geração de renda e contribuam para a conservação do meio ambiente.

´A tendência é que o percentual de usode energias renováveis permaneça no patamar que está. O governo e as empresas têm o papel de direcionarem os investimentos para um outro tipo de consumo`, considera Gesmar Rosa dos Santos, pesquisador do Ipea.

O comunicado aponta que nos próximos 20 anos, os biocombustíveis serão o destaque brasileiro na oferta de energias renováveis. Para 2017, a produção de etanol é estimada em 60 bilhões de litros, enquanto a produção de biodiesel deve alcançar a marca de 11 bilhões de litros. Uma das consequências desses resultados é a elevação da geração de energia elétrica com o bagaço da cana-de-açúcar. O estudo considera que a agroenergia pode se tornar uma vitrine da matriz brasileira de produção de energia renovável, com g eração de renda e inserção social, com baixa emissão de gases do efeito estufa.

Para Gesmar Rosa dos Santos, o país deve concentrar esforços em pesquisa e tecnologia, visando também uma maior eficiência energética, e sem discriminar alternativas, incluindo a energia nuclear. ´Mesmo sem poder dizerque vamos usar, a gente não pode abrir mão de pesquisar. Pesquisar não significa usar, mas nos dá a possibilidade de contar com a diversidade de possibilidades se for necessário`, defende o pesquisador, para completar: ´O problema muitas vezes não está na geração, mas sim numa melhor conservação da energia. O Brasil pode ser um exemplo para o mundo no setor energético, especialmente em relação à bioenergia`.

X