Ocupações de terra em Pernambuco são intensificadas

A Federação dos Trabalhadores em Agricultura de Pernambuco – Fetape declarou nesta manhã que vai manter as invasões de terra em todo o estado. As ocupações foram intensificadas neste final de semana quando 18 propriedades rurais foram ocupadas pela Fetape. O presidente da Fetape, Aristides Santos, declarou que as necessidades mais urgentes são a agilidade nos processos de desapropriação e não somente crédito para a agricultura familiar. A declaração rebate no lançamento do Plano Safra para a Agricultura Familiar lançado ontem pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva aos agricultores.

Segundo a Fetape, as 18 áreas consideradas improdutivas somam cerca de 16 mil hectares e foram ocupadas por cerca de 500 famílias. Foram ocupadas áreas nas Zonas da Mata, Agreste e Sertão. Neste ano a Fetape já havia coordenado a ocupação de pelo menos outros cinco engenhos na Zona da Mata pernambucana.

O MST também intensificou o movimento de ocupação de terras no estado. Um grupo de agricultores demarcou por conta própria as terras do Engenho Bonito, na Mata Norte. A decisão de demarcar a área por conta própria aconteceu após uma decisão judicial suspender as vistorias feitas pelo Incra no local. A propriedade, com cerca de mil hectares, já estava sob ocupação do movimento que já cultivava cerca de 350 hectares.

Segundo a coordenação do MST, a medida foi tomada em função do não cumprimento de um acordo para que o Incra vistoriasse todas as terras pertencentes ao grupo João Santos até o dia 20 deste mês. A expectativa do órgão é de que os próximos passos da disputa agrária aconteçam dentro do âmbito da legalidade.

X