“Novas lagartas na agricultura e o manejo biológico” é tema de palestra em Ribeirão

A agricultura brasileira sofre com o surgimento de novas pragas, que causam prejuízos consideráveis ao agricultor. Dentre essas pragas estão algumas espécies de lagartas (Lepidoptera) que apesar de conhecidas no país, nunca tinham causado prejuízos às diversas culturas ou não tinham ocorrido nas culturas da soja, algodão, milho, feijão, milheto, cana-de-açúcar, citros etc. A conclusão é do professor Dr, Alexandre de Sene Pinto, que falará sobre o assunto durante a palestra “Novas lagartas na agricultura e o manejo biológico”, que será realizada no dia 20 de junho, às 16h30, no Campus do Centro Universitário Moura Lacerda, Sala D1, em Ribeirão Preto (SP).

Segundo o especialista, muitas dessas infestações-surpresa são consequência da aplicação indiscriminada de agrotóxicos, que aumentou muito nos últimos anos, levando o Brasil a ser o maior consumidor do mundo desde 2008. “Aliado a isso, surge no cenário nacional uma nova praga, Helicoverpa armigera, considerada quarentenária até agora, e que vem causando grande preocupação em todas as culturas, visto que até o momento são registradas mais de 180 espécies de plantas atacadas por ela. Dentre essas culturas estão soja, algodão, citros, várias gramíneas e plantas daninhas. Aqui no Brasil, parece já ter atacado cafezal, aumentando essa lista. Nesse cenário alarmante, se faz mais do que necessário que as descobertas científicas sejam divulgadas mais rapidamente e que haja uma perfeita interação entre cientistas e agricultores, num país onde a extensão agrícola é bastante precária, desde a formação dos profissionais nas universidades”, lembra.

Mais informações: agronomia@mouralacerda.edu.br ou com Alexandre de Sene Pinto no aspinn@uol.com.br.

img7021

X