Nordeste ganha terceira biofábrica de meristemas

Parte do projeto “Cana de Meristema para o Nordeste”, idealizado pelo Centro de Tecnologias Estratégicas do Nordeste (Cetene), localizado em Recife (PE) e mantido pelo Ministério da Agricultura, foi inaugurado no último dia 22, mais uma estufa de produção de meristemas no Nordeste, localizada na Zona Norte de Pernambuco, mais precisamente na Usina São José.

De acordo com o presidente da Associação dos Plantadores de Cana da Paraíba (Asplan), Raimundo Nonato Siqueira, a estufa possibilitará melhorar, ainda mais, a qualidade da matéria-prima na região, principalmente, dos pequenos produtores. Alexandre Lima, presidente da União Nordestina dos Produtores de Cana (Unida), afirma que a terceira biofábrica do Nordeste será um salto para a renovação das plantações de cana da região.

A solenidade de inauguração aconteceu em Pernambuco, contou com a presença do Ministro da Ciência e Tecnologia, Sérgio Resende, além de representantes de entidades e empresários do setor, que se mostraram otimistas com a nova perspectiva que se abre diante de mais uma estufa voltada para produção de novas variedades de cana-de-açúcar com alto teor de sacarose, sadias e com variedades voltadas para as características do Nordeste.

Este tipo de iniciativa, como explica Nonato, significa desenvolvimento da região e beneficia principalmente os pequenos produtores. “A maior contribuição da estufa para a Paraíba é a proximidade da estuda como Estado. Muitas vezes as variedades de cana produzidas em outras regiões demoram para chegar ao Nordeste e quando chegam já estão desatualizadas. Quem ganha com isso são os pequenos produtores de cana que obtém mudas de maior qualidade, com preços acessíveis”, comemora Nonato.

Outro ponto positivo que foi destaque na solenidade de inauguração da estufa, foi a possibilidade anunciada pelo Ministro de serem injetados investimentos na área de modernização da agricultura no setor sucroalcooeiro. “O Governo Federal junto com entidades do setor, anunciaram que pretendem investir em desenvolvimento de tecnologia para corte de cana. Esta notícia animou a todos principalmente devido ao imediatismo da aplicação dos recursos. Isso será um salto para a renovação das plantações no Nordeste”, explicou Alexandre Lima.

X