“Não podemos descartá-lo”, diz Cid Caldas sobre etanol 2G

img7269

Na manhã desta quinta-feira, 27, o JornalCana conversou com Cid Caldas, diretor do Departamento de Cana-de-Açúcar e Agroenergia do Mapa — Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, sobre a evolução do etanol celulósico no país.

Questionado sobre a importância dos investimentos nesta área, Caldas se mostrou favorável a tecnologia. “Independente de que matéria-prima seja extraído, nós apoiaremos a produção de etanol celulósico. É um passo a mais na matriz energética brasileira, não podemos ficar atrelados apenas ao etanol de primeira geração. Não podemos descartá-lo de maneira nenhuma”, explicou.

Sobre a questão mercadológica, ele explica a preocupação do governo. “Sabemos que um dos entraves é o preço de produção, que inviabiliza seu comércio. Estamos trabalhando para que o etanol 2G consiga uma competitividade maior”, apontou.

X