Na semana da medida para baratear álcool, produto subiu 5,26% no país

A redução do percentual de álcool anidro misturado à gasolina, de 25% para 20%, que começou a valer no dia 1, não fez o preço do combustível cair na semana passada. Ao contrário, o custo do álcool hidratado (vendido nos postos) disparou 5,26% nas bombas, para R$ 1,879 por litro na média nacional, entre os dias 26 de fevereiro e 4 de março, de acordo com pesquisa da Agência Nacional do Petróleo (ANP). Entre 19 e 25 de fevereiro, o valor médio nos postos de combustíveis do país era de R$ 1,785 por litro.

A nova mistura foi determinada pelo governo para liberar mais álcool no mercado e forçar a baixa do preço do combustível. A pesquisa também mostrou que o álcool ficou 3,125% mais caro nas distribuidoras.

A gasolina, que passou a contar com um percentual menor de álcool — produto sobre o qual incidem menos impostos e, por isso, mais barato — também ficou mais cara no país. O preço subiu 1,15%, de R$ 2,507 para R$ 2,536. Nas distribuidoras, a alta foi de 0,40%.

No acumulado do ano, o litro do álcool já ficou 13,87% mais caro na média do país e 11,37% no Estado do Rio. A ANP mostrou ainda que o preço do álcool subiu 5,6% no estado na variação semanal, de R$ 1,892 para R$ 1,998. A alta da gasolina foi de 1,07%. No município do Rio, o álcool passou de R$ 1,883 para R$ 1,992 na média dos postos, um aumento de 5,78%. A alta da gasolina também foi de 1,07%.

X