Movimento Sem Terra invade engenho e depreda canavial em PE

O engenho Prado pertencente a Usina Santa Teresa, do Grupo João Santos, de Tracunhaém – a 65 quilômetros do Recife – foi invadido ontem pelo Movimento Sem Terra – MST, que depredou a fazenda, arrancou canas, incendiou e destruiu quatro casas, um galpão e treze máquinas agrícolas, causando um prejuízo de aproximadamente, R$ 1 milhão. Além da manifestação, renderam também funcionários da empresa.

A propriedade, uma das áreas de conflito mais antigas do Estado reivindicada por 300 famílias que vivem em três acampamentos desde 1997, estava nas mãos de um arrendatário com o qual a empresa estava em litígio há 25 anos. Há três meses ganhou a reintegração de posse e fez acordo com um grupo de sem-terra que foram indenizados com recibos homologados no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Nazaré da Mata. As canas arrancadas ontem durante o conflito estavam plantadas nas áreas indenizadas, onde agora os manifestantes voltaram a plantar feijão e milho.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva é contra a violência que vem sendo praticada pelo MST nos últimos dias, e disse ontem que a reforma agrária deve ser feita de forma organizada.

X