Movimento de importação de etanol de milho é natural, diz analista

A produção histórica mais açucareira, a localização geográfica privilegiada para exportação, preços atrativos do açúcar no exterior e a entressafra induzem ao movimento do Nordeste de importar etanol de milho norte americano. A informação é do analista de mercado da Agra FNP Consultoria, Bruno Bosz.

Segundo ele, esse é um processo natural do mercado nordestino. “Nesse sentido surgem pequenas janelas para importação de pequenos volumes de etanol. Para o Brasil, atualmente as oportunidades no exterior estão melhores para o açúcar. Também considero entraves as questões de câmbio, além dos subsídios aos produtores americanos que valorizam o etanol de milho, tornando-o mais competitivo. Isso dificulta o acesso ao produto brasileiro nesse mercado mas o cenário deve mudar um pouco em 2011”, lembra.

Alguns analistas também consideram que o movimento acontece devido os preços mais elevados do etanol no mercado interno, enfatizando que as compras podem aumentar em 2011. Segundo eles, motivados também pelo aumento da frota de veículos flex no país, as compras estão acontecendo desde 2010. Um dos analistas informou que o preço do etanol brasileiro praticado, está 50 centavos por galão acima do preço do etanol norte-americano FOB em Tampa.

X