Montadoras voltam a falar em “renovar frota” no país

A renovação e a reciclagem da frota de veículos é apontada pelos sindicalistas como uma das medidas mais urgentes para ajudar a resolver a atual crise do setor automotivo no país.

“Há dois anos entregamos essa proposta ao governo, que engavetou o projeto. Agora, em final de mandato presidencial, não há esperança de que se faça algo para evitar as atuais dificuldades do setor”, diz o presidente interino do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, José Lopes Feijóo.

A proposta consiste em estimular a troca de veículos com mais de 15 anos de uso por carros mais novos. O consumidor receberia um bônus para fazer a troca. O incentivo seria em parte bancado pelas indústrias, que facilitariam os financiamentos e reduziriam suas margens de lucro. E em parte pelo governo, que diminuiria os impostos cobrados. Da frota brasileira em circulação de 20 milhões de veículos, cerca de 9 milhões têm mais de 10 anos, e 6 milhões acima de 15 anos.

“Estima-se que 100 mil carros poderiam ser adquiridos por ano. As vendas aumentariam, haveria economia de energia, menos acidentes e menos poluição”, diz.

O sindicato também defende políticas de incentivo para aumentar a produção, as vendas internas e as exportações. O que permitiria gerar 68 mil empregos em quatro anos. O plano foi entregue ao candidato a presidente do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, em abril. (Folha de SP)

X