Moçambique: Fábrica de bioetanol em Moçambique começa a ser construída em 2009

A Principle Energy pretende dar início em 2009 à construção de uma fábrica de bioetanol de 290 milhões de dólares mas irá abaster-se de obter fundos este ano devido à volatilidade do mercado, afirmou terça-feira em Londres o director-geral para a Europa.

A Principle Energy – uma empresa que opera no sector das energias renováveis e em que o fundo cotado em Londres Principle Capital tem uma participação significativa não-divulgada – conseguiu angariar 70 milhões de dólares em 2007 para o projecto de Moçambique.

Raymond Greaves disse que a empresa absteve-se de conseguir 90 milhões de dólares devido às condições do mercado adiando essa intenção para 2009, “uma vez que o negócio está perfeitamente financiado até ao ano que vem, pelo que decidimos aguardar por um momento mais oportuno”.

A fábrica de Moçambique, localizada perto da localidade de Dombe, cerca de 200 quilómetros a oeste da cidade da Beira, deverá começar a funcionar em 2011 e produzir 60 milhões de galões de etanol por ano.

Greaves salientou que o rendimento da produção de cana-de-açúcar em Moçambique deverá ser 50 por cento mais elevada do que no Brasil, devido à melhor qualidade dos solos, clima e irrigação e realçou o facto de tanto a União Europeia como os Estados Unidos da América não aplicarem direitos de importação aos produtos neste caso de Moçambique, ao contrário do que acontece com os produtos brasileiros.

O director-geral para a Europa da Principle Energy manifestou-se pouco preocupado com a queda dos preços do petrólo dizendo que seria necessário que o preço do barril baixasse para menos de 40 dólares para que passasse a ser mais barato do que o etamol de cana-de-açúcar.

X