Ministra apóia cogeração de energia

A ministra das Minas e Energias, Dilma Rousseff, que acompanhou o presidente Lula ao interior de São Paulo na última sexta-feira, disse que o Brasil vive um momento importante já que possui grande potencial energético. “Embora seja quase auto-suficiente na produção de petróleo, o país deve investir mais na obtenção de energia através da biomassa, seja através do álcool ou da produção de eletricidade com a queima do bagaço de cana”.

Segundo a ministra, ainda é preciso resolver o impasse no

setor elétrico, referindo-se ao racionamento adotado pelo governo anterior, em 2001, sob o risco do chamado apagão. “Deveremos em breve reduzir os preços do GLP e da energia elétrica, como aconteceu com os preços dos combustíveis”, disse.

Para Dilma, a inauguração da termelétrica da Santa Elisa representou um grande empreendimento que abre espaço para geração distribuída através da biomassa, aderente a produção local, “além de contribuir com a geração de empregos”, lembrou.

Ministra apóia cogeração de energia

A ministra das Minas e Energias, Dilma Rousseff, que acompanhou o presidente Lula ao interior de São Paulo na última sexta-feira, disse que o Brasil vive um momento importante já que possui grande potencial energético. “Embora seja quase auto-suficiente na produção de petróleo, o país deve investir mais na obtenção de energia através da biomassa, seja através do álcool ou da produção de eletricidade com a queima do bagaço de cana”.

Segundo a ministra, ainda é preciso resolver o impasse no

setor elétrico, referindo-se ao racionamento adotado pelo governo anterior, em 2001, sob o risco do chamado apagão. “Deveremos em breve reduzir os preços do GLP e da energia elétrica, como aconteceu com os preços dos combustíveis”, disse.

Para Dilma, a inauguração da termelétrica da Santa Elisa representou um grande empreendimento que abre espaço para geração distribuída através da biomassa, aderente a produção local, “além de contribuir com a geração de empregos”, lembrou.

X