Milho cai nos EUA com sinais de redução da demanda

Os preços do milho recuaram ontem na Bolsa de Chicago (CBOT) diante de sinais de que os fabricantes de ração animal estariam buscando alternativas ao cereal. O contrato maio, o mais negociado atualmente, perdeu 0,56% e terminou cotado a US$ 7,1025 por bushel. Uma venda de 114.300 toneladas de sorgo anunciada pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) levantou suspeitas de que os compradores já estão recorrendo a outras matérias-primas mais baratas. O mercado vem sendo pressionado há meses pelo fraco ritmo das exportações norte-americanas e analistas consideram que a concorrência tende a aumentar com a chegada da safra da América do Sul.

O trigo, por outro lado, encontrou sustentação na expectativa de que será mais usado em substituição ao milho e avançou 0,92%. Já a soja caiu para o nível mais baixo em quase duas semanas (-1,48%) em meio a preocupações sobre um enfraquecimento da demanda chinesa por produto disponível. Para 2013/14, porém, a expectativa é de que o país asiático importará 65,5 milhões de toneladas, volume 4% maior que o de 2012/13, informou o escritório do USDA em Pequim.

Na Bolsa de Nova York, o café arábica fechou com desvalorização de 1,23%, devolvendo ganhos iniciais desencadeados por temores sobre a ferrugem nas lavouras da Guatemala e de Honduras. Cacau, açúcar bruto e suco de laranja também encerraram em baixa por causa da firmeza do dólar em relação às principais moedas, o que torna as commodities mais caras para compradores estrangeiros.

X