Mercados de Açúcar e Álcool

A produção de açúcar da Tailândia atingiu 7,3 milhões de toneladas de novembro a 1º de junho, segundo levantamento feito por estatal tailandesa. O governo da Rússia prevê para este ano crescimento de 4,8% na produção do açúcar refinado. Em maio, as importações russas foram de 564,4 mil toneladas abaixo das 578 mil toneladas importadas no mesmo período do ano passado. Ainda pressionadas pela falta de demanda no físico grande e disponibilidade do produto no mercado mundial, as cotações nas bolsas internacionais, entre 28 de maio e 4 de junho, voltaram a sofrer desvalorização para todos os vencimentos.

Na bolsa de Nova Iorque, a queda para o primeiro vencimento (julho/03) foi de 4,02%; na LIFFE, bolsa de Londres, o declínio foi de 4,07% para o vencimento agosto/03. Na BM&F, a situação não foi diferente: a cotação para o primeiro vencimento (julho/03) foi a que teve maior redução de preço, caindo 6,09% no período citado. No mercado do álcool, segundo alguns analistas, a produção brasileira deverá ser de 14,4 bilhões de litros, 0,21% menor que a previsão feita em fevereiro. Apesar do decréscimo do preço do álcool nas usinas desde a entrada da safra (cerca de 30%), somente agora eles estão caindo para o consumidor nas bombas dos postos.

De acordo com dados da Única, até o final de abril já foram produzidos cerca de 700 milhões de litros de álcool na região Centro–Sul e mais 400 milhões no estado de São Paulo. Na BM&F, as cotações de álcool anidro tiveram depreciação. As desvalorizações foram maiores para os vencimentos mais longos, com destaque para o vencimento outubro/03, com 4,58% (ver gráfico). O mercado futuro está projetando elevação de preço para o fim da safra (vencimento novembro/03) e início da entressafra (vencimento janeiro/04) de aproximadamente 12%.

Mercados de Açúcar e Álcool

De janeiro a novembro de 2002, a Indonésia apresentou crescimento de 28% nas exportações de açúcar (demerara), comparado com o mesmo período de 2001. Ainda no mercado internacional, a Rússia também vem importando açúcar demerara para produção de açúcar refinado, devendo produzir cerca de 200 mil toneladas em janeiro. Nas bolsas de Nova Iorque e Londres, o período de 22 a 29 de janeiro foi marcado pela forte valorização das cotações, apesar das fixações de países produtores, apresentando elevação de 12% tendo-se como base o primeiro vencimento (março/03). Para o mesmo vencimento e período, a bolsa londrina apresentou crescimento de 7%, diminuindo o prêmio do açúcar branco sobre o demerara.

No mercado futuro de açúcar da BM&F, os vencimentos futuros tiveram alta de preços considerável. Os vencimentos março/03, abril/03 e julho/03 subiram 8,8%, 8% e 12%, respectivamente. No mercado interno de álcool, a antecipação da safra para abril ficou firmada entre o setor e o governo. Segundo especialistas, com essa antecipação e a redução da mistura de álcool anidro na gasolina, o mercado não correrá risco de desabastecimento. Fontes do mercado internacional comentam que a China tem pretensões de importar álcool anidro do Brasil e adicionar 15% na gasolina, isso com a finalidade de diminuir os poluentes liberados pelos seus carros. No mercado futuro de álcool anidro da BM&F, as cotações vêm-se mantendo firmes desde o início do ano, apesar de algumas realizações (ver gráfico). É interessante a observação por parte dos players do spread entre o açúcar e o álcool anidro em termos de paridade (ATR).

(BM&F)

Mercados de Açúcar e Álcool

Segundo informações da International Sugar Company, as importações de açúcar demerara da Rússia, em janeiro, devem chegar a 250 mil toneladas. A China, mesmo com o forte inverno que afetou a produção em cerca de 2 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, teve crescimento de 48% na produção de açúcar refinado, produzindo em torno de 9,1 milhões de toneladas de açúcar. Ainda no mercado internacional, a Tailândia registrou queda de 9,8% na produção de açúcar, entre novembro de 2002 e janeiro de 2003, se comparado ao mesmo período anterior. Na bolsa de Nova Iorque, de 16 a 22 de janeiro, o primeiro vencimento (março/03) permaneceu estável, com valorização de 0,26% apesar das vendas dos fundos.

Na bolsa Londrina, para o mesmo vencimento, a valorização foi mais significativa, apresentando variação de 3,11%. No mercado futuro de açúcar da BM&F, as cotações vem acompanhando o mercado internacional, com preços firmes desde o início do ano. Na semana de 16 a 22 de janeiro, os vencimentos março/03, abril/03 e julho/03 apresentaram valorização de preços da ordem de 2,47%, 4,28% e 3,05%, respectivamente. No mercado de álcool anidro, ficou definido pelo governo e pelo setor que o percentual da mistura de álcool anidro na gasolina deverá ser reduzido para 20% a partir do dia 1º de fevereiro.

No mercado futuro de álcool anidro da BM&F, os vencimentos mais curtos (março/03 e maio/03) tiveram elevação de suas cotações no início da semana, mas não obtiveram sustentação (ver gráfico). O spread entre os vencimentos agosto (sem modificações) e setembro de 2003 (com modificações) merece análise por parte dos players desse mercado.(BM&F)

Mercados de Açúcar e Álcool

A safra da União Econômica Européia, de acordo com o último relatório de uma conceituada consultoria internacional, deverá ser de 28,5 milhões de toneladas na safra 2002/03, cerca de 11,5% acima da safra passada, mas bem abaixo da previsão anterior. Segundo fontes do mercado internacional, a Índia poderá exportar em 2002/03 algo em torno de 1,5 milhão de toneladas de açúcar, bem acima do previsto de 900 mil toneladas. Nas bolsas de Nova Iorque e Londres, os preços vêm-se mantendo estáveis com ligeira elevação neste início de ano, sem grandes sobressaltos e com poucos players atuando no mercado. Na BM&F, as cotações futuras apresentam valorização expressiva, neste começo de ano, para praticamente todos os vencimentos. Merecem destaque os vencimentos mais curtos março/03 e maio/03 com valorização de 14,7% e 11,8%, respectivamente.

O mercado de álcool anidro deve mesmo passar uma entressafra com estoque de passagem bem apertado, haja vista a valorização dos preços no mercado spot e nos vencimentos futuros. Em vista da possível falta de produto para a entressafra, o novo ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, junto com representantes do setor sucroalcoleiro, vem estudando a hipótese de se diminuir o percentual de álcool anidro na mistura com a gasolina para 20%. Outra medida que está sendo estudada é um compromisso do setor em antecipar a moagem para final de março e início de abril. Na BM&F, as cotações dos vencimentos futuros de álcool anidro já vinham sinalizando este descompasso entre a oferta e a demanda para a entressafra, por meio da elevação dos preços. Com a valorização do álcool anidro e do real, em termos de paridade, diminui-se o descompasso de preços entre as duas commodities (açúcar e álcool anidro). (BM&F)

Mercados de Açúcar e Álcool

De acordo com informações de mercado, em 2003, a China deve aumentar sua produção em 5,9%, especialmente por intermédio do aumento da área plantada. Ainda no mercado internacional, a Tailândia vem registrando no período de outubro/02 a janeiro/03, queda de 11% na produção de açúcar com relação à safra 2001/02. As bolsas de Nova Iorque e Londres, mesmo com forte declínio das cotações no dia 3 (ver gráfico), recuperaram-se e obtiveram variação positiva no período de 2 a 8 de janeiro de 2003. A CSCE variou 0,68% para o vencimento março/03, com os outros se apresentando estáveis. Já a bolsa londrina obteve maiores variações, destaque para 1,82% no vencimento março/03 e 1,75% em agosto/03. No mercado de açúcar spot, a União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (UNICA) estima que a produção de cana para a safra 2002/03 será de 270 milhões de toneladas, 9% a mais que a produção da safra passada (BM&F)

Mercados de Açúcar e Álcool

O ano de 2002 foi um ano atípico para o setor sucroalcooleiro em todos os sentidos. De acordo com a Unica, a safra do Centro-Sul, que se encerra, deverá apresentar recorde em termos de Açúcar Total Recuperável (ATR), cerca de 39,3 milhões de toneladas de ATR. Tudo indica também que a colheita de cana deverá fechar em um número próximo de 266 milhões de toneladas, maior que a safra passada em torno de 10%.

Ainda, segundo o mesmo relatório, até 1° de dezembro foram produzidas 18,5 milhões de toneladas de açúcar, 6,2 milhões de metros cúbicos de álcool anidro e 4,8 milhões de metros cúbicos de álcool hidratado, para um mix de produção de 49,71% para açúcar, 28,88% para o álcool anidro e 21,41% para o álcool hidratado. Na BM&F, este ano foi marcado pelas modificações nos dois contratos (açúcar e álcool anidro) para adequação ao mercado físico que era uma reivindicação dos membros da câmara de açúcar e álcool.

Em termos de equivalência em produto, na Bolsa foram negociados 12,8 milhões de sacas de açúcar e 1,8 milhão de metros cúbicos, esses números com base nos contratos negociados entre janeiro e novembro de 2002. Quanto aos preços, o açúcar e o álcool anidro tiveram grande oscilação. O açúcar que no início da safra estava cotado a cerca de US$6,00/saca, hoje está por volta de US$11,00/saca e o álcool anidro que saiu de um preço de R$400,00/m³ para algo em torno de R$ 800,00/m³. As perspectivas para os mercados futuros de açúcar e álcool anidro na BM&F apontam para incremento nas negociações, principalmente nas operações de compra e venda de açúcar indexadas ao contrato futuro e operações de CPR de álcool anidro com hedge em bolsa. (BM&F)

Mercados de Açúcar e Álcool

Segundo o Ministério da Agricultura da Rússia, cerca de 59% da área plantada de beterraba já foi colhida, apresentando produtividade média de 20,6 toneladas por hectare. De acordo com alguns analistas, a produção de açúcar da China deverá ser de 8,4 milhões de toneladas devido, principalmente, ao aumento da área plantada. Apesar de a produção ser recorde, acredita-se que, para o próximo ano, deverá importar algo em torno de 1,5 milhão de toneladas para consumo interno. Nas bolsas internacionais, depois de algumas semanas de realizações de lucros, parece que novamente o mercado internacional está comprando, com os vendedores retraídos esperando melhores preços. A variação na bolsa londrina no mês, primeiro vencimento (dezembro/02), foi de 1,40%; na de Nova Iorque, o vencimento março/03 valorizou-se 7,24%; e na BM&F, o vencimento dezembro/02 subiu 15,90%.

Os contratos futuros de açúcar também vêm apresentando bom volume de negócios depois das mudanças efetuadas no contrato. É interessante o acompanhamento, por parte dos players, dos vencimentos para a entressafra março/03 e abril/03 (ver gráfico). Aguarda-se para os próximos dias a homologação, pela Associação Nacional do Petróleo (ANP), da adição de álcool anidro ao óleo diesel. A mistura, segundo testes efetuados em Curitiba, deverá conter 8% de álcool anidro; 89,4% de óleo diesel; e 2,6% do aditivo derivado da soja (AEP-102). A Austrália – devido à crise que os produtores de açúcar vêm enfrentando, como baixos preços do açúcar e problemas climáticos – está querendo incrementar sua produção de álcool minimizando, assim, suas exposições aos preços praticados no mercado de açúcar mundial. Na BM&F, o mercado de álcool anidro vem trabalhando com preços firmes para todos os vencimentos nestas últimas semanas, apresentando preços interessantes para operações de spread e cash and carry. (BM&F)

Mercados de Açúcar e Álcool

Teve início no período de 1º a 8 de agosto os leilões para concessão de subsídios da União Européia para exportação de açúcar refinado da safra 2002/03. Cerca de 40 a 60 mil toneladas obtiveram licença de embarque com subsídio de E$50 para cada 100kg embarcados. Ainda segundo o relatório da União Européia, a safra deverá ser cerca de 10% maior em relação à passada devido ao maior conteúdo de açúcar por beterraba. O último relatório da Commodity Futures Trading Commission (CFTC) mostrou uma liquidação de posições compradas, por parte dos fundos e grandes especuladores, isto é, diminuíram-se as posições, revertendo-se, assim, a operação. Apesar de os volumes negociados nas bolsas internacionais terem declinado (período de férias), as cotações futuras continuam apresentando movimento de alta, inclusive rompendo algumas parâmetros importantes (US$¢6,00/lb), quando se faz a análise gráfica.

Na BM&F, os vencimentos futuros do açúcar registraram valorização em suas cotações, acompanhando o mercado internacional e estreitando o spread na paridade. As oscilações na semana foram: outubro/02 (2,55%), dezembro/02, (4,50%) e março/03 (2,30%). No álcool, destaca-se o anúncio da disposição do governo em financiar os estoques, o que segundo o ministro Sérgio Amaral poderia vir, por meio de uma equalização da taxa de juro a fim de não onerar a estocagem. Segundo dados relativos a vendas de veículos a álcool, nos primeiros sete meses de 2002, foram vendidas 22.986 unidades, superando em 4.651 unidades, do total vendido no ano de 2001. Com a alta valorização das cotações futuras de álcool anidro na BM&F em julho e a posterior realização de lucros por parte dos comprados, no final do mês, o mercado parece ter encontrado novo patamar de preços, mostrando certa estabilidade de acordo com o gráfico. As variações na semana foram: outubro/02 (-3,37%); dezembro/02 (-2,09%) e março/03 (-1,20%). (BM&F)

X