Mercado livre avança como estratégia para a eletricidade da biomassa da cana

O bagaço de cana é a principal matéria-prima das usinas para cogerar eletricidade
O bagaço de cana é a principal matéria-prima das usinas para cogerar eletricidade

O mercado livre de energia elétrica revela-se estratégico para a comercialização de eletricidade produzida também pela biomassa da cana-de-açúcar.

O Portal JornalCana apurou junto a analistas do mercado de energia elétrica que as usinas cogeradoras de excedente, e que possuem disponibilidade de venda de megawatts (MW), têm boas chances de reforçar o caixa com a venda direta, mesmo com os custos dos comercializadores.

Custos em alta

Até anos atrás considerado marginal, com pouca participação na matriz energética, o mercado livre tem avançado por conta das tarifas reguladas das concessionárias.

Em muitos casos, essas tarifas custam bem acima da compra de eletricidade no mercado livre, principalmente para grandes consumidores de eletricidade, como a indústria.

Hidrelétricas: escassez

O mercado livre também tem-se revelado promissor diante a escassez de oferta de energia elétrica convencional, ou seja, fornecida pelas hidrelétricas.

Com a previsão de estiagem prolongada nesse ano, embalada pela ausência do fenômeno climácio El Niño – que provoca chuvas na região Centro-Sul do País – as hidrelétricas tendem a ofertar menos eletricidade, o que empurrará para cima o preço dessa geração. Esse empurrão afetará diretamente o consumidor final.

Sem surpresas

Diante uma projeção dessas, fechar contrato de compra de energia no mercado livre evitará surpresas desagradáveis para o caixa desses consumidores. Nesses contratos, os valores de pagamento previamente fixados garantem ao consumidor uma gestão melhor de caixa.

Outro motivo de otimismo no mercado livre de energia, conforme apurado pelo Portal JornalCana, é a possibilidade de retomada da atividade econômica do País.

Setores da indústria tendem a voltar a produzir, diante a volta do consumo, e exigirão maior consumo de energia elétrica. Como a oferta regulada, pelas concessionárias, está condicionada à oferta principalmente das hidrelétricas, que tendem a gerar menos oferta, o mercado livre reforça sua posição de saída estratégica.

O Portal JornalCana divulga a seguir mais conteúdos relacionados ao mercado livre de energia elétrica.

Contate o autor deste conteúdo: delcymack@procana.com.br

 

 

 

X