Mercado do Açúcar

A queda do dólar em relação a outras moedas acabou dando impulso para os futuros do açúcar demerara em Nova York. Os contratos se auto-corrigiram para se aproximar de seu “preço real”, compensando a retração do dólar.

Com isso, os contratos para março do açúcar 11 subiram 1,9% e fecharam a 6,34 centavos de dólar a libra-peso, o maior patamar registrado em seis semanas.

Nem mesmo as vendas realizadas pelo Brasil – maior produtor mundial – conseguiram inibir a alta na bolsa norte-americana.

Mercado do Açúcar

A Rússia colheu 87,7% da área plantada com beterraba para açúcar, informa o ministério da agricultura do país. A área colhida corresponde a uma produção de 18,67 milhões de toneladas. Os dados são referentes a 28 de outubro. A colheita está adiantada em relação ao ano passado, quando apenas 39,6% da área cultivada tinha sido colhida. Em 2002, a Rússia produziu 15,471 milhões de toneladas, volume 6,3% maior que o do ano anterior. Neste ano, o plantio chegou a 921.390 hectares, área 13,6% maior que a cultivada no ano passado.

Mercado do Açúcar

A percepção de que a demanda por açúcar no mercado internacional está fraca derrubou os preços do açúcar na bolsa de Nova York. Na sexta-feira, o contrato 11 para março fechou a 5,93 centavos de dólar a libra-peso, em queda de 4,2% e no menor patamar das últimas três semanas.

Recentemente, os preços vinham se mantendo firmes graças aos especuladores. De acordo com a Commodities Futures and Trading Commission (CFTC), agência do governo americano, os fundos tinham 35,7 mil lotes até a sexta-feira, 24 de outubro. O volume era 9,3% maior que o registrado na semana anterior.

Como os especuladores estão liquidando suas posições, as notícias fundamentais – como a que indica aumento da produção mundial – começaram a exercer maior influência sobre os preços.

Mercado do Açúcar

A safra de açúcar da África do Sul para 2003/04 é estimada em 2,384 milhões de toneladas, ligeiramente acima das 2,383 milhões de toneladas projetadas anteriormente, informa a Associação dos Produtores de Açúcar do país. É a segunda revisão para cima: a estimativa feita em agosto era de 2,372 milhões de toneladas. Esse crescimento foi proporcionado pelo aumento da safra de cana, que deve ser de 20,463 milhões de toneladas – anteriormente, projetada em 20,373 milhões de toneladas. Em 2002/03, a África do Sul produziu volume recorde de açúcar, de 2,76 milhões de toneladas.

Mercado do Açúcar

Vendas especulativas provocaram queda dos futuros do açúcar demerara e refinado na bolsa de Nova York. Os contratos número 11 do açúcar demerara para março fecharam a 5,96 centavos de dólar a libra-peso, em queda de 0,8% na sexta-feira. Os futuros de número 14 do açúcar refinado para março encerraram o dia a 21,02 centavos.

De acordo com a União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica), a colheita da safra de cana do centro-sul deve ser concluída em breve. A expectativa é que ela seja pelo menos 6% maior que a da safra anterior, que foi recorde. No Nordeste do País, a colheita da safra de cana-de-açúcar acaba de começar.

Mercado do Açúcar

Os preços futuros do açúcar, com entrega programada para o mês de dezembro, encerraram cotados a US$ 194,70 por tonelada no pregão de ontem da bolsa de Londres, em ligeira alta, de 50 centavos, sobre o fechamento anterior. Após um intenso movimento de vendas especulativas registrado nos pregões de sexta-feira das bolsas internacionais, poucos negócios foram realizados no pregão de segunda-feira da bolsa de Londres. A ausência de notícias fundamentais motivou o aumento dos preços, segundo informaram traders. A produção de açúcar da Itália vai cair cerca de 30% na safra 2003/04, em virtude da severa seca registrada nas regiões produtoras de beterraba.

Mercado do Açúcar

Os contratos futuros, para entrega em janeiro foram negociados a 7,18 centavos de dólar por libra-peso, em alta de 0,8% sobre o fechamento anterior.

Mercado do Açúcar

Os contratos futuros, para entrega em janeiro foram negociados a 6,68 centavos de dólar por libra-peso no pregão de ontem (3/7) da bolsa de Nova York, em alta de 3,5% no dia. A alta reflete o intenso movimento de compras especulativas.

As exportações de açúcar registraram movimentação média diária de US$ 13,28 milhões FOB na semana de 23 a 29 de junho, o que representa recuo de 6,2% em comparação com os US$ 14,152 milhões da semana anterior, de acordo com dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex).

Dessa forma, a média diária do acumulado de junho foi de US$ 10,363 milhões, representando alta de 73,4% sobre os US$ 5,978 milhões de maio passado e de 10,9% sobre os US$ 9,346 milhões de junho de 2002.

X