Mercado de açúcar tem fundamentos positivos, apesar da crise

Apesar do cenário de crise global financeira, o mercado internacional de açúcar sustenta um movimento altista para a safra 2008/09. Pela primeira vez desde o ciclo 2004/05, a previsão é de que a produção mundial de açúcar caia para 161,6 milhões de toneladas, um recuo de 7,4 milhões de toneladas sobre a safra anterior (de 169,002 milhões de toneladas), segundo dados da International Sugar Organization (ISO). O consumo global deverá crescer 2,5%, alcancando 165,5 milhões de toneladas, ante 161,752 milhões de toneladas em 20087/08. Com esse cenário, haverá um superávit mundial de 3,9 milhões de toneladas, ante um déficit de 7,250 milhões de toneladas

“As safras de açúcar em diversos países devem mostrar um fascinante cenário. Mas as oportunidades para o mercado de energia serão grandes”, disse Peter Baron, diretor da ISO.

A produção global deverá cair, sobretudo por causa da Índia, segundo maior produtor global de açúcar. O país deverá ter um recuo de produção de cerca de 4,6 milhões de toneladas. Os países da União Européia também terão uma oferta menor, de 2,6 milhões de toneladas. Os países produtores deverão usar os seus estoques para compensar a menor produção. Mesmo com a queda de produção na Índia para 2008/09, os indianos deverão exportar entre 1 milhão e 2 milhões de toneladas. Recentemente, usinas da região do sul da Índia haviam assinado acordo para importar cerca de 350 mil toneladas de açúcar do Brasil. A Tailândia também sinalizou a importação entre 700 mil e 800 mil toneladas de açúcar do Brasil.

Segundo Peter Baron, as incertezas para o mercado de açúcar no Brasil são o desempenho do real sobre o dólar e o efeito da restrição de crédito da usinas sobre os projetos em andamento. Para o mercado internacional, o desempenho dos preços do petróleo também exerce fator de influência sobre o setor, assim como o dólar frente a outras moedas estrangeiras e também o impacto da crise financeira global sobre as commodities agrícolas.

X