Mais usinas recorrem à recuperação judicial

Mais usinas entraram com pedido de recuperação judicial. A família Bezerra de Mello, que controla as usinas Barcelos, Carapebus e Cupim, todas do norte fluminense, entraram, no dia 3 de dezembro, com pedido de recuperação judicial. A ação foi apresentada na 5ª Vara Cível de Campos dos Goytacazes (RJ), sede das unidades produtoras. Duas das três usinas já estavam desativadas.

A família também é controladora da rede de hotéis Othon.

Este é o quarto grupo sucroalcooleiro a recorrer à Justiça para evitar a falência.

Segundo José Alexandre Meyer, advogado que representa as usinas, os baixos preços do açúcar e do álcool no mercado nos últimos dois anos e a falta de crédito no mercado agravaram a situação financeira das usinas.

Fundadas no final do século 19, as usinas ocupam uma área própria de mais de 20 mil hectares de terras produtivas distribuídas entre os municípios de São João da Barra e Campos dos Goytacazes. Juntas, têm capacidade instalada de moagem de cerca de 1,5 milhão de toneladas de cana, além de uma destilaria com capacidade de produção de aproximadamente 90 mil litros de álcool hidratado por dia.

Com cerca de 1000 empregados, as usinas vinham acumulando perdas com a baixa cotação do açúcar e do álcool nos últimos anos e acabaram por ter a situação financeira agravada pela diminuição da oferta de crédito causada pela atual crise econômica mundial.

X