Lula anuncia mais crédito e menos burocracia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou ontem a destinação de R$ 5,4 bilhões para a agricultura familiar e a redução da burocracia na liberação dos recursos. Na cerimônia, o presidente do Banco do Brasil, Cassio Casseb, anunciou a criação do Cartão Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Aqueles que quitarem seus empréstimos em dia terão a renovação automática do crédito por até seis anos, sem a necessidade de voltar à agência com a documentação. Além disso, o cartão pode ser usado para o pagamento dos insumos diretamente nas empresas vendedoras. O governo anunciou ainda a compra de R$ 400 milhões em produtos da agricultura familiar para o Programa Fome Zero, o aumento do crédito em 50% para os produtos básicos e a criação de linhas para mulheres, jovens, agroecologia, maquinário e pecuária de corte.

Também foi criada uma linha para os produtores que não se enquadram como agricultores familiares e não são considerados empresariais – renda entre R$ 40 mil e R$ 60 mil, com juros de 7,25% ao ano. Os pequenos produtores terão ainda direito a participar de Empréstimos do Governo Federal (EGFs) e Aquisições do Governo Federal (AGFs) – estão orçados R$ 536 milhões.

Lula anuncia mais crédito e menos burocracia

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva anunciou ontem a destinação de R$ 5,4 bilhões para a agricultura familiar e a redução da burocracia na liberação dos recursos. Na cerimônia, o presidente do Banco do Brasil, Cassio Casseb, anunciou a criação do Cartão Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Aqueles que quitarem seus empréstimos em dia terão a renovação automática do crédito por até seis anos, sem a necessidade de voltar à agência com a documentação. Além disso, o cartão pode ser usado para o pagamento dos insumos diretamente nas empresas vendedoras. O governo anunciou ainda a compra de R$ 400 milhões em produtos da agricultura familiar para o Programa Fome Zero, o aumento do crédito em 50% para os produtos básicos e a criação de linhas para mulheres, jovens, agroecologia, maquinário e pecuária de corte.

Também foi criada uma linha para os produtores que não se enquadram como agricultores familiares e não são considerados empresariais – renda entre R$ 40 mil e R$ 60 mil, com juros de 7,25% ao ano. Os pequenos produtores terão ainda direito a participar de Empréstimos do Governo Federal (EGFs) e Aquisições do Governo Federal (AGFs) – estão orçados R$ 536 milhões.

X