Lucro da São Martinho cresceu 26%

O aumento da produção e da comercialização de açúcar e etanol e os melhores preços levaram o Grupo São Martinho a um lucro líquido de R$ 39,7 milhões no primeiro trimestre da safra 2016/17, 26% acima do mesmo período do ciclo anterior.

Controladora de quatro usinas, a companhia obteve uma receita líquida de R$ 709,4 milhões no período, um avanço de 49% na comparação anual. O lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação (Ebitda) ajustado cresceu 48,3%, para R$ 333,8 milhões.

O aumento da receita refletiu em grande medida a estratégia da São Martinho de antecipar a exportação de açúcar, parte da qual já estava com preços travados diante da disparada da commodity no mercado internacional, segundo Fábio Venturelli, presidente da companhia, ao Valor. “Como o açúcar já estava precificado e teve oportunidade logística, embarcamos um volume grande”, afirmou o executivo. A receita com as exportações de açúcar alcançaram R$ 359,9 milhões no trimestre, mais que o dobro do obtido no mesmo período da safra anterior.

No último dia do junho, a companhia já havia travado o preço de venda de 664,5 mil toneladas de açúcar a serem vendidas na safra atual por um valor médio de 15,28 centavos de dólar a libra­peso. Até mesmo uma parte do açúcar que a companhia pretende vender na safra 2017/18 também já teve o preço fixado. “Nunca havíamos antecipado hedge para meados de junho”, comentou Felipe Vicchiato, diretor financeiro da São Martinho. Até o fim de junho havia sido travado o preço de 150,6 mil toneladas de açúcar por 19,33 centavos de dólar a libra­peso.

No trimestre, a receita total com açúcar atingiu R$ 387,4 milhões, alta de 98,5% na comparação anual. Segundo Venturelli, apesar da recente queda do dólar, os valores do açúcar têm subido, garantindo preços altos em reais.

As vendas de etanol também engordaram o faturamento da São Martinho no trimestre, uma vez que o produto tem oferecido uma remuneração maior. A receita com as vendas do etanol hidratado cresceu 80%, para R$ 107,5 milhões. As vendas de etanol anidro foram ainda maiores, totalizando R$ 151,3 milhões, alta de 26%. O resultado foi também influenciado pela venda de etanol anidro importado para abastecer o mercado interno na entressafra, o que gerou uma receita no trimestre de R$ 25 milhões.

Com a melhora dos resultados operacionais, o grupo reduziu sua alavancagem para abaixo de 2 vezes, para 1,95 vez, disse Venturelli. Um ano atrás, a relação entre a dívida e o Ebitda era de 2,4 vezes.

Favorecida pela queda do dólar, a dívida líquida consolidada da São Martinho ficou praticamente estável, em R$ 2,7 bilhões. Pelo cronograma de amortizações, a companhia tinha R$ 609 milhões a pagar em um a dois anos, mas a dívida foi alongada depois que a companhia fez em julho a emissão de R$ 350 milhões em recebíveis do agronegócio (CRA), o que deve aparecer no próximo balanço, disse Vicchiato.

Fonte: (Valor)

X