Lanxess investe € 7 mi em cogeração a partir do bagaço de cana

A companhia alemã Lanxess AG, fabricante de especialidades químicas, anunciou nesta terça-feira (7), que vai investir € 7 milhões (R$ 19,6 milhões) na construção de uma planta de cogeração de energia na planta de Porto Feliz, SP, onde a empresa fabrica óxido de ferro. A usina usará bagaço de cana-de-açúcar como combustível e deverá entrar em operação no início de 2010.

A energia oriunda da biomassa vai suprir a demanda da unidade e permitirá a redução anual de 44 mil toneladas de CO2 emitidos na atmosfera. De acordo com a empresa, o uso do bagaço de cana permitirá que a produção seja totalmente neutra de CO2, “uma vez que a quantidade de gás emitida será a mesma que as plantas consumirão mais tarde, no processo de crescimento”.

A usina, que terá capacidade de 4,5 MW, também possibilitará a geração de créditos de carbono cuja venda vai garantir a sustentabilidade do projeto. O refinanciamento do investimento deverá ser realizado parcialmente por meio da venda dos créditos. O BNDES vai financiar 80% do investimento.

Atualmente a usina de Porto Feliz gera energia a partir de óleo combustível (20%) cavaco de madeira reflorestada (80%), matéria-prima que começou a ser utilizada como fonte de energia em 2003. A partir de 2010, a cogeração vai demandar um volume anual de 140 mil toneladas de bagaço de cana.

A Lanxess obteve em 2007 um faturamento de € 6,61 bilhões e atualmente emprega 15,1 mil pessoas em 21 países. No Brasil, a empresa tem cerca de 400 funcionários distribuídos nas unidades de São Paulo, SP, Porto Feliz, SP, São Leopoldo, RS, Recife, PE. A companhia desenvolve, fabrica e comercializa materiais sintéticos, borrachas, produtos intermediários e químicos especiais.

X