John Deere cria nova unidade de negócios exclusiva para cana

O “boom” do setor sucroalcooleiro levou a John Deere Brasil a criar a Unidade de Negócios Cana-de-Açúcar, com sede em Ribeirão Preto (SP), e que tem como gerente comercial José Luis Coelho. “Estamos seguindo os novos ventos canavieiros, num cenário de ótimo para excelente e, o que é melhor, com bastante consistência”, diz Coelho, que até ontem era gerente comercial para as regiões Sudeste, Nordeste e parte do Centro-Oeste, vendendo máquinas para todas as culturas.

“Estamos nos adequando para atender ao segmento de forma ágil e rápida”, afirma Coelho. Segundo ele, a nova unidade nasce dentro da divisão comercial da John Deere, com profissionais que se interligam com todas as outras áreas da companhia, que são planejamento do produto, engenharia de vendas, vendas, pós-vendas e a área de comunicação com o mercado.

Na nova função, Coelho passará a gerir 33 das 116 concessionárias John Deere existentes em 19 estados brasileiros. Também terá 25 pessoas ligadas diretamente a ele, sendo mais da metade locadas em Ribeirão Preto, e o restante na fábrica e sede em Horizontina (RS) e em Catalão (GO), onde é fabricada a nova colhedora de cana.

O anúncio da nova divisão foi feito na terça-feira, em Orlândia (SP), ao Grupo de Motomecanização (GMEC), que reúne há 21 anos gerentes de mecanização agrícola das principais unidades sucroalcooleiras do País.

Na ocasião, a John Deere lançou a colhedora de cana modelo 3510, com novo motor John Deere de 332 cavalos de potência (o anterior era Scania) nas versões sobre esteira e rodas e com tecnologia de agricultura de precisão, baseada no sistema GPS, de localização por satélite. “Na nova máquina, a companhia incorpora definitivamente a marca John Deere. Ou seja, a colhedora deixa de ter a marca Cameco e sua cor muda de amarelo para verde”, conta Coelho.

Também foram apresentados outros produtos que integram o chamado sistema mecanizado John Deere para o cultivo da cana. Entre eles, a plantadora mecanizada de cana picada SMI 10000 e uma família de oito veículos de transbordo de cana, de 8 a 13 toneladas, fabricados pela Serrana Máquinas e Equipamentos (Sermag), de Serrana (SP).

As primeiras dez unidades da colhedora foram vendidas em pré-lançamento para as usinas do Grupo Ipiranga, localizadas em Descalvado e Mococa (SP), e para a Usina Vale do Verdão, em Turvelândia (GO), do Grupo Agromen.

X