Já ouviu falar em comercializador varejista de eletricidade? Ele abrange a energia feita de cana

Comercializador varejista de energia elétrica. Trata-se talvez do mais novo personagem do mercado livre, no qual não há contratos com as distribuidoras.

O comercializador favorece também as unidades termelétricas (UTEs) que produzem eletricidade a partir da biomassa da cana-de-açúcar.

JornalCana lista 8 informações sobre o comercializador a partir da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

1

O que é:

Regulamentado em 2015, o comercializador varejista foi criado para tornar mais simples a atuação de empresas de menor porte, reduzindo a complexidade da adesão e facilitando o desenvolvimento do mercado livre.

2

Quem ele pode representar:

O varejista pode representar consumidores e/ou geradores junto à CCEE. Os representados não precisam se tornar agentes da Câmara de Comercialização. Podem ser usinas com capacidade instalada abaixo de 50 MW (autoprodutores e produtores independentes), consumidores livres (carga acima de 3 MW) e especiais (carga entre 0,5 MW e 3 MW), sendo estes últimos restritos à aquisição de energia incentivada, ou seja: de pequenas centrais hidrelétricas – PCHs, biomassa, eólicas, solar e biogás.  Entende-se como consumidores empresas como shoppings, indústria de bebidas, supermercados, redes varejistas, entre outras.

3

Atribuições:

Este perfil de agente fica responsável por toda operação de seus representados no mercado livre de energia, desde a migração para o Ambiente de Contratação Livre (ACL) até a gestão de todos os procedimentos relacionados à sua operacionalização, entre eles modelagem, medição, contabilização, obrigações financeiras, entre outros.

4

Quem pode ser um comercializador varejista?

A empresa interessada em se habilitar como varejista deve ser uma comercializadora ou um gerador, além de ser obrigatoriamente agente da CCEE.

5

Quando é preciso ser agente da CCEE?

Há apenas uma situação em que o representado pelo varejista precisa permanecer como agente da CCEE: quando a empresa representada é detentora de concessão ou autorização para geração com capacidade instalada igual ou superior a 50 MW, não comprometidos com contratos do ambiente regulado (CCEAR, CER, Cotas). Neste caso, o representado continua respondendo pelos seus resultados e obrigações, apesar de todo o relacionamento ser mantido exclusivamente pelo comercializador varejista.

6

Que outra novidade existe?

Novas usinas, ou aquelas que queiram trocar de representação, a partir de agora poderão ser representadas apenas por um varejista.

7

Quantos comercializadores varejistas estão habilitados?

Cinco desses agentes estão com habilitações aprovadas pelo Conselho de Administração da CCEE. São eles: EDP C, Comerc Power, CPFL Brasil Varejista, a EKCE e a Copel Com. Confira aqui os dados das empresas habilitadas segundo a regulamentação estabelecida pelas Resoluções Normativas ANEEL 570/2013 e 654/2015.

8

Como está o consumo

Os consumidores representados pelos varejistas tiveram o consumo de 6.800 MWh no mês de março, conforme informações divulgadas no InfoMercado Mensal – dados individuais da CCEE.

 

 

 

X