Ituiutaba Bioenergia, da CNAA, será inaugurada em outubro

A CNAA (Companhia Nacional de Açúcar e Álcool) anunciou para outubro o início das operações de sua primeira unidade produtora de etanol e energia, no município mineiro de Ituiutaba. A usina terá capacidade para moer 2,7 milhões de tonelada de cana, para produção de 140 milhões de litros de álcool, 4,5 milhões de sacas de açúcar e 56 MWh de energia elétrica cogerada a partir da biomassa.

Nos planos da CNAA, empresa criada em 2006, a partir de uma joint venture entre o grupo Santelisa Vale e os fundos de investimentos Global Foods, Carlyle/Riverstone, Goldman Sachs e Discovery Capital, estão outras três unidades, que terão 90% de mecanização na colheita.

A Itumbiara Bioenergia, em Goiás, também será inaugurada este ano. A Campina Verde Bioenergia, em Minas Gerais, inicia as operações em 2009. Já a Usina Platina, que ainda passa por um estudo de viabilidade, poderá começar as atividades na safra 2011/12. Esta última unidade, que também deverá ser instalada em Ituiutaba, no Triângulo Mineiro, ainda não entra nas estimativas de produção e investimentos anunciadas pela CNAA.

As três plantas greenfield têm as mesmas características. Juntas, terão capacidade para esmagar 8,1 milhões de toneladas de cana para produção anual de 420 milhões de litros de etanol, 13,5 milhões de sacas de açúcar e eletricidade excedente para abastecer, em média, 400 mil residências de médio porte.

Dos US$ 2,2 bilhões em investimentos totais previstos pela CNAA, US$ 269 milhões estão sendo financiados pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento), que ajudará na obtenção de US$ 379 milhões em bancos comerciais, através de empréstimo consorciado comandado pelo BNP Paribas.

O financiamento concedido pelo BID, no sistema de crédito direto, tem prazo de 15 anos para o pagamento. Na semana passada, o presidente da instituição, Luis Alberto Moreno, visitou as instalações das novas unidades, acompanhado do governador mineiro Aécio Neves.

De acordo com a empresa, só em Minas Gerais serão gerados três mil empregos diretos e 15 mil indiretos. “Acreditamos no avanço econômico-sócio-ambiental e este projeto já nasce como um benchmarking para o Brasil e o mundo”, disse o presidente da CNAA, Anselmo Lopes Rodrigues.

O Triângulo Mineiro concentra 68% da produção de cana do Estado, 79% da fabricação de açúcar e 61% da destilação de etanol. Minas é o terceiro maior produtor nacional, com 34 usinas em operação. Na safra 2008/09 as usinas mineiras devem processar 31,6 milhões de toneladas, um crescimento de 177% no acumulado dos últimos seis anos.

X