Investimentos em canaviais deverão recuar durante entressafra 2008/09

Os canaviais receberão poucos investimentos durante a entressafra 2008/09, que começou neste mês e vai até abril de 2009. Aplicação de insumos e renovação das lavouras terão poucos aportes por conta da crise financeira pela qual passam as usinas.

Jacyr Costa, presidente da Açúcar Guarani, afirmou que manterá os aportes em renovação dos canaviais esta safra

Tradicionalmente as usinas renovam até 20% dos canaviais por safra, segundo a consultoria Datagro. Esse percentual deverá ficar abaixo de 16%, de acordo com estimativas de Plínio Nastari, presidente da consultoria. “A não-renovação afeta a produtividade das safras futuras”, disse.

Com escassez de crédito no mercado e com pouco capital de giro, as usinas vão reduzir os investimentos no campo como forma de reduzir seus custos.

Contrariando a tendência que se concretiza no setor, o grupo francês Tereos, controlador da Açúcar Guarani, com cinco usinas em operação, deverá manter seus investimentos nos canaviais, afirmou Jacyr Costa, presidente da Guarani. As usinas do grupo deverão encerrar a moagem até o dia 15. “Suspendemos alguns investimentos em ampliação das usinas do grupo, mas vamos manter os aportes no campo”, afirmou. A mecanização das lavouras também faz parte da prioridade da companhia.

Para manter os mesmos patamares de produtividade agrícola, o grupo São Martinho também deverá manter os investimentos nos canaviais, afirmou o CEO da companhia, Fábio Venturelli. A moagem da usina São Martinho foi encerrada na semana passada e as outras duas unidades do grupo, a Iracema, em Iracemápolis (SP), e Boa Vista, em Quirinópolis (GO), deverão concluir a colheita nos próximos dias.

Nesta safra 2008/09, cerca de 40 milhões de toneladas de cana deverão ficar nos canaviais. A expectativa é de que o mesmo volume fique no campo também em 2009/10. Os baixos preços do açúcar no mercado internacional desde a temporada 2007/08 deixaram as empresas do setor sucroalcooleiro.

Por conta da crise financeira, muitos grupos também vão adiar as operações de seus projetos novos de usinas. Levantamento da Datagro mostra que das 35 novas unidades previstas para entrar em operação nessa safra, sete adiaram os planos para 2009 . Em 2009, havia uma previsão de que 43 novas usinas começariam a moagem. No entanto, apenas 25 plantas devem começar suas operações no próximo ano, incluindo as sete unidades que começariam em 2008. (MS)

X