Indústrias não usaram recursos do governo federal para renovação dos canaviais

Apenas 35% dos recursos disponibilizados pelo Prorenova para renovação dos canaviais foram utilizados na safra 12/13. Os produtores e indústrias de cana-de-açúcar tomaram apenas R$ 1,4 bilhão do crédito oferecido, que era de R$ 4 bilhões, de acordo com dados do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O programa foi criado para incentivar a produção de cana-de-açúcar por meio de financiamentos à renovação dos canaviais antigos e à ampliação da área plantada.

A pouca adesão ao Prorenova obrigou os produtores de Mato Grosso e utilizar o próprio recurso para investir na safra. Para o diretor executivo do Sindicato das Indústrias sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindalcool/MT), Jorge dos Santos, a expectativa para a próxima temporada é que os produtores consigam ter acesso ao crédito. Ele explica que a pouca procura pelo recurso é resultado da burocracia imposta para conseguir fazer o financiamento.

Para o BNDES, a adesão será maior na temporada seguinte, considerando que foram retiradas algumas exigências. Por exemplo, as empresas de capital estrangeiro mas com sócios brasileiros podem agora tomar crédito do Prorenova. “Essa característica é muito presente no setor. Acreditamos que essa é uma ação que pode incentivar a adesão ao financiamento”, disse a assessoria de imprensa do banco ao Agrodebate. Para a Safra 13/14 serão disponibilizados outros R$ 4 bilhões. (Agrodebate)

X