Indiano vai arbitrar caso de subsídio da UE a açúcar

Brasil e União Européia (UE) acertaram ontem que o indiano A.V. Ganesan será o árbitro que decidirá o tempo que Bruxelas terá para cumprir determinação da Organização Mundial do Comércio (OMC) de reduzir os subsídios ao açúcar. A demora na escolha atrasou o processo em mais de um mês.

O caso começou no ano passado, quando Brasil, Tailândia e Austrália pediram à OMC que avaliasse se os subsídios da UE violavam acordos internacionais. A entidade concluiu que sim e determinou a suspensão dos subsídios. Como os europeus não o fizeram, o Brasil voltou a pedir à OMC que abrisse nova arbitragem para determinar em quanto tempo Bruxelas deveria reformar seus subsídios se não quisesse enfrentar retaliações.

Antes, porém, Brasil, Tailândia, Austrália e UE precisaram entrar em acordo sobre o nome do juiz. Bruxelas, para ganhar tempo, passou a vetar os nomes propostos pelos três países. A Europa ainda apresentou nomes para o posto que, segundo o Itamaraty, não puderam ser aceitos. Jamil Chade

X