IEA: preços ao produtor paulista sobem 0,56% em junho

Os preços recebidos pelos produtores rurais paulistas fecharam o mês de junho em alta de 0,56%, conforme o Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista (IqPR) divulgado hoje pelo Instituto de Economia Agrícola (IEA), da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo. O indicador dos produtos de origem vegetal (IqPR-V) fechou com variação negativa de 2,15%, enquanto que o dos produtos de origem animal (IqPR-A) subiu 7,28%.

A queda de 3,16% nos preços da cana-de-açúcar em junho pressionou o indicador, devido sua expressiva participação na ponderação dos cálculos. Quando a cana é excluída o indicador geral sobe 3,15% e o de produtos vegetais recua apenas 0,77%.

No acumulado dos últimos doze meses, os resultados mostram variações positivas de 2,44% para o indicador geral, alta de 5,01% nos produtos de origem vegetal e queda de 4,3! 2% para as proteínas animais. No acumulado, a alta 14,4% nos preços da cana-de-açúcar impulsionou os indicadores. Sem a cana, os resultados acumulados apresentam quedas significativas de 5,72% no indicador geral e de 7,67% nos produtos vegetais.

Os produtos do que registraram altas em junho foram tomate para mesa (37,24%), carne suína (21,48%), carne de frango (16,88%), leite tipo C (10,50%) e feijão (6,17%). Os técnicos explicam que os preços do tomate subiram impulsionados pela redução da oferta, provocada pelas baixas temperaturas.

“A carne suína inverteu a tendência de queda e apresentou forte alta, acompanhando o mercado de produtos de origem animal. Esse ajuste decorre da reabertura de alguns mercados no exterior e da superação das desconfianças do consumidor interno, face à recente epidemia mundial de gripe”, dizem os técnicos.

Os produtos que apresentaram as maiores quedas de preços foram laranja para mesa (13,01%), banana nanica (8,31%), arroz (5,44%), ! amendoim (5,13%) e cana-de-açúcar (3,16%).

X