Humanização da lavoura canavieira foi fundamental para etanol emplacar no exterior

Durante sua visita ontem (23/11) à Ribeirão Preto, o presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva, fez uma retrospectiva do segmento sucroenergético nos últimos oito anos e reforçou: “estabelecemos entre empresários e trabalhadores, uma política de confiança e quebra de preconceitos para entendermos que para o nosso etanol emplacar no exterior deveríamos passar a idéia da humanização do trabalho no setor”.

Para Lula, esse é um trabalho grandioso e importantíssimo para introdução do etanol no mundo desenvolvido. “Esse é um momento mágico no nosso país, que hoje é respeitado no mundo inteiro”, reforça.

Durante seu discurso, o presidente criticou a taxa de exportação que incide sobre o etanol brasileiro. “Quando o Brasil começou a ganhar importância e disputar mercado com países desenvolvidos, foram criados obstáculos aos produtos nacionais, como o etanol e a carne”, afirmou.

Lula ainda enfatizou a importância das obras de infraestrutura do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) para o escoamento da produção agrícola. Ele mencionou a Ferrovia Norte-Sul, que terá 1.513 km inaugurados no próximo mês e a Transnordestina, que ligará os portos de Pernambuco, Ceará e Sergipe.

Além de apresentar as ações para o setor, o presidente anunciou o Plano Setorial de Qualificação (Planseq), voltado a trabalhadores do setor, e inaugurou as obras do etanolduto São Sebastião.

X