Helicóptero é ninja! — ENTREVISTA — Yasuzo Ozeki

Diferentemente da pulverização convencional feita pelos aviões, o uso dos helicópteros traz benefícios aos produtores. Mesmo exigindo um investimento maior no equipamento, essa técnica permite operações com velocidade variável e em espaços menores, além de oferecer tempo de manobra menor. Veja a entrevista do engenheiro agrônomo Yasuzo Ozeki, que já atuou como coordenador em aviação agrícola, gerente operacional de aviação agrícola e de divisão agrícola com helicópteros, é especialista em área de tecnologia de pulverização aérea e terrestre:

JornalCana — Quais as principais diferenças entre o helicóptero e o avião convencional?

Yasuzo Ozeki — O helicóptero tem a capacidade de operar com velocidade variável e não necessita de um aeródromo para pousar e decolar, podendo operar em um espaço menor e até de uma plataforma sobre um caminhão. E o tempo de manobra é bem menor, em torno de dez segundos, enquanto que um avião precisa de mais de trinta segundos e depende sempre da existência de um aeródromo (pista) no mínimo de seiscentos metros de comprimento e trinta metros de largura.

Pelo fato de voar em velocidade menor não há perigo de contaminação do aplicador?

Não, desde que a operação não seja realizada com um vento transversal de no mínimo de 3,0 km/h até no máximo 15 km/h. Existe também um “downwash”, efeito do rotor principal que sopra as partículas para baixo. Quanto menor a velocidade de voo maior será este efeito, diminuindo, portanto, o risco.

Leia a entrevista completa clicando aqui.

X