Guarani investirá R$ 31 mi na produção de açúcar

A Açúcar Guarani continua com seu foco na produção de açúcar para a próxima safra 2010/11. Segundo o presidente da empresa, Jacyr Costa Filho, serão investidos R$ 31 milhões para que a produção de açúcar já se eleve na próxima safra. Costa explica que um investimento de aproximadamente R$ 9 milhões será realizado para aumentar a capacidade de moagem da unidade São José dos atuais 2,6 milhões para 3,2 milhões de toneladas.

Além disso, serão investidos R$ 22 milhões na construção de uma nova fábrica de açúcar na unidade Tanabi, para a produção adicional de 110 mil toneladas por ano. A unidade Tanabi, atualmente uma destilaria, passará a partir do próximo ano a apresentar um mix de produção de 50% açúcar e 50% etanol.

Esses são os principais investimentos programados para o curto prazo em virtude da forte disciplina que a empresa está mantendo no momento, voltando-se! para o aumento da capacidade de produção de açúcar, a redução de custos e a eliminação de gargalos industriais. A companhia investiu R$ 65 milhões no primeiro semestre de 2009, registrando uma redução de 55,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

“A expectativa é de que os preços do açúcar continuem remuneradores na próxima safra e queremos aproveitar o momento”, disse o executivo. Segundo Costa, o sentimento é de que, com a manutenção de preços elevados de açúcar e a recente alta do preço do etanol, a Guarani registre um bom resultado também nos próximos dois semestres em virtude da formação de estoques tanto de açúcar como de etanol. “No primeiro semestre do ano, preferimos fazer estoques que serão vendidos agora na entressafra, que começa em dezembro, e consequentemente teremos um aumento expressivo na receita”, disse. Em 30 de setembro de 2009, os estoques de açúcar da Guarani eram de 270 mil toneladas.

A dívida líquida da empresa ficou em R$ 1,075 bilhão ! no segundo trimestre de 2010, crescimento de 54,3% sobre igual período do ano anterior. Deste total, contudo, Costa lembrou que R$ 415 milhões são de dívidas contraídas com a controladora Tereos. A relação dívida líquida/Ebitda ajustado da Guarani foi de 4 vezes, permanecendo estável frente ao trimestre anterior. Desconsiderando-se os mútuos com o acionista controlador, a relação situou-se em 2,5 vezes. A dívida de curto prazo (dívida corrente menos caixa e equivalentes de caixa de curto prazo) representou 49,8% da dívida líquida total no final de setembro de 2009, frente a 36,7% em 30 de junho de 2009.

X