Grupo deve investir R$ 1,7 bi em energia limpa no Brasil

A Siif Énergies do Brasil prevê investimento R$ 1,7 bilhão em cinco usinas eólicas, quatro no Ceará e uma no Rio de Janeiro, até 2009, disse nesta sexta-feira à Agência Lusa o diretor de operações no Brasil, Marcelo Picchi.

A Siif Énergies do Brasil prevê investimento R$ 1,7 bilhão em cinco usinas eólicas, quatro no Ceará e uma no Rio de Janeiro, até 2009, disse nesta sexta-feira à Agência Lusa o diretor de operações no Brasil, Marcelo Picchi.

De acordo com o responsável, R$ 1 bilhão será investido no Nordeste do Brasil, enquanto o restante será destinado ao projeto no Rio de Janeiro.

Do montante global, 70% serão financiados pelo Banco do Nordeste do Brasil (BNB) e Superintendência de Desenvolvimento do Nordeste.

Picchi disse que a crise mundial não mudará os planos de negócios da empresa, que tem como acionistas majoritários, Citi Group, Black River Asset Management e Liberty Mutual Insurance Company.

“Na verdade, intensificamos o trabalho”, afirmou.

A empresa inaugura nesta sexta-feira a primeira usina do Ceará: a central eólica de Paracuru, resultado de investimento de cerca de R$ 115 milhões.

Instalada numa área de 60 hectares, a 90 quilômetros de Fortaleza, a unidade tem capacidade de geração de 23,4MW e condições de abastecer perto de 400 mil pessoas.

Ainda neste ano, a SiiF pretende inaugurar a central de Foz do Rio Choró 25MW, em Beberibe, interior do estado.

As centrais eólicas de Icaraizinho (54MW), em Amontada, e Praia Formosa (104,4MW), em Camocim, também no Ceará, estão em obras e deverão começar a funcionar no início do próximo ano.

Juntos, os parques do Ceará representam 207MW de energia, o que corresponde a 17% do consumo de energia elétrica no estado.

A central eólica Quintilha Machado (135MW), em Arraial do Cabo (RJ), deverá ser inaugurada até dezembro de 2009.

Liderança

O conjunto de usinas eólicas da Siif, fundado em 1991, representa a contratação de 342MW, ou seja, cerca de 24% do Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa), número que coloca a empresa na liderança em geração eólica no país.

Este volume significa a redução de 225 mil toneladas de CO2 da atmosfera por ano.

Para o futuro, a Siif planeja investir no fornecimento de mais 1.000MW.

“Isso dependerá dos novos leilões de energia”, disse Marcelo Picchi.

A expectativa é de pelo menos um leilão de 1GW por ano, específico para energia eólica, nos próximos 10 anos.

A Siif também busca alternativas “que sejam viáveis econômica e financeiramente” para concretizar os novos projetos.

X