Governo trabalha para exportar álcool para EUA, diz ministro

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Roberto Rodrigues, disse nesta quarta-feira que trabalha com um projeto para exportar, no futuro, etanol (álcool) para os Estados Unidos. Mas ressaltou que apenas levará a idéia adiante se houver “um projeto de longo prazo, negociado, entre americanos e brasileiros, para um crescimento de demanda lá”.

“Como nós temos potencial de crescimento ilimitado em relação a etanol, poderíamos criar um projeto casado e articulado de produção aqui e consumo lá (EUA), é com isso que eu estou trabalhando”, disse Rodrigues.

Atualmente, no entanto, de acordo com o ministro, a redução da tarifa de importação do etanol sinalizada pelo presidente George Bush não tem “nenhum impacto econômico sobre a produção de etanol nos Estados Unidos”. Rodrigues disse que a exportação do produto terá de ser feito com cuidado. “Não podemos tomar a decisão de plantar cana para fazer etanol se não tivermos um mercado qualificado definido, estruturado e dimensionado pelos países consumidores em relação a nossa produção”.

Rodrigues disse que sabe da resistência de parte dos produtores rurais americanos em relação a redução da tarifa. “A preocupação deles é que poderia significar uma inundação de etanol brasileiro nos Estados Unidos, mas não existe o risco. Nós produzimos 16 bilhões de litros para um consumo de 15. Portanto, não temos excedentes exportáveis em volume de ameacem o mercado interno de qualquer pais do mundo.”

O presidente Bush disse, no último final de semana, que quer derrubar a tarifa de importação do etanol. “Derrubar a tarifa possibilitará a exportação do etanol estrangeiro para nosso mercado, o que deve ajudar particularmente nossos custos”, disse Bush. Há semanas a Casa Branca busca alternativas para baixar o preço médio do galão (3,7 litros) de gasolina, atualmente em US$ 3,50 (cerca de R$ 7,20).

X