Governo e Unica assinam Protocolo de Intenções para introdução de 50 ônibus movidos a etanol

Com a idéia de introduzir um lote inicial de 50 ônibus movidos a etanol na frota de transporte urbano da capital paulista, foi assinado ontem (25/11) o Protocolo de Intenções entre a Prefeitura de São Paulo, com participação do prefeito Gilberto Kassab, a Unica e a iniciativa privada. O protocolo tem a participação das Secretarias Municipais de Transportes (SMT) e do Verde e do Meio Ambiente (SVMA), São Paulo Transportes (SPTrans), e de três empresas: a Scania, que vai produzir os ônibus; a Viação Metropolitana, que será a operadora; e a Cosan, que vai fornecer o etanol a ser utilizado pelos veículos.

“Trata-se de um acordo muito bem-vindo porque insere o etanol em um mercado tradicionalmente dominado pelo óleo diesel, trazendo ao transporte urbano as vantagens ambientais já demonstradas há muito tempo nos automóveis e comerciais leves,” afirmou Marcos Jank, presidente da Unica, durante a cerimônia. “Outro aspecto importante é que a novidade viabiliza a produção deste tipo de ônibus no Brasil, adotando uma tecnologia já consagrada na Europa e possibilitando ao País tornar-se um exportador desses veículos,” completou o executivo.

O presidente da UNICA explica que o etanol é praticamente livre de enxofre, ao contrário do óleo diesel, que emite óxidos de enxofre que contribuem para a formação de partículas tóxicas de sulfatos na atmosfera. Ele lembra que o etanol também não emite partículas de fumaça preta, e concluiu: “Isso tudo sem considerar o principal argumento, que é a redução em aproximadamente 70% das emissões de gases responsáveis pelo efeito estufa, comparado com o diesel.”

Também presente na cerimônia, o consultor de Emissões e Tecnologia da Unica, Alfred Szwarc, acrescentou que a iniciativa do ônibus a etanol já existe há pelo menos 13 anos, mas só recentemente tornou-se viável por meio do Projeto BEST. “A análise operacional e a confiabilidade desses ônibus foram fundamentais para a viabilidade do trabalho, sem contar os benefícios ambientais que são extremamente atraentes,” afirmou.

X