Gigantes começam a divulgar projeções de moagem para a safra 17/18. Confira metas da Raízen e da Guarani

Operação de plantio em área canavieira da Guarani (Foto: Ferdinando Ramos/Divulgação)

Raízen e Guarani são as primeiras gigantes em capacidade instalada a divulgar projeções de moagem de cana-de-açúcar para a safra 2017/18.

Controlada pela Cosan e pela Shell, a Raízen, com 24 unidades produtoras, deverá chegar a 63 milhões de toneladas de moagem na 17/18 em uma estimativa mais otimista divulgada pela companhia.

O montante estimado está até 2 milhões de toneladas acima da moagem da 16/17, virtualmente encerrada e estimada entre 59 e 61 milhões de toneladas.

Já a Guarani, da Tereos Internacional, deverá moer 20 milhões de toneladas de cana na 17/18 em suas sete unidades produtoras no país. O volume projetado é o mesmo da moagem do ciclo 16/17.

Capacidade

Junto com a Raízen e com a Guarani, lideram o ranking das seis gigantes em capacidade de moagem a Biosev, Odebrecht, São Martinho e Bunge.

Juntas, as seis gigantes têm capacidade instalada de 186,4 milhões de toneladas de cana, conforme levantamento da plataforma de dados Infocana, da Procana.