Gestão estratégica, alongamento de prazos e redução de juros são saídas para crise

Para o setor sucroenergético superar a crise e o endividamento, sem ter que lançar mão de alternativas como fusão ou venda, é preciso desenvolver um novo programa, organizado pelo Governo Federal, onde possibilite uma nova chance para os proprietários, alongando prazos e reduzindo os juros da dívida atual. A opinião é de Marcos Françóia, diretor da MBF Agribusiness.

“Além disso é preciso ter uma definição e definitiva da importância de setor, aliás essa nova oportunidade somente será possível se houver quem acredite no segmento sucroenergético. Entretanto não se trata de somente perdoar dívidas ou reduzir juros, ou alongar, trata-se de cobrar dos proprietários uma responsabilidade pela gestão, colocando seu patrimônio na garantia da operação que será monitorada. Má gestão será penalizada, pois não se admite mais isso num setor tão estratégico para o país. Continuar assim, temos que admitir que como brasileiros, com mais de 500 anos de história nesse setor, não aprendemos a conduzi-lo”, lembra.

Ele não vê perspectivas para que o problema (crise) de 40% das empresas sejam resolvidos a não ser uma atitude de apoio, ou serão adquiridas por grandes grupos no futuro. “A retomada dos preços somente melhora a questão do capital de giro das empresas. A dívida continuará assombrando. As medidas do governo, foram tardias e não trazem os resultados que são divulgados. A redução tributária para o etanol está ficando para as distribuidoras, pois no desespero para fazer caixa as empresas estão repassando a possibilidade de ganho”, finaliza.

img7074

X