Gasolina e diesel estáveis, álcool e gás com redução em Natal

Os preços dos combustíveis estão praticamente estáveis em Natal, em comparação aos preços praticados há trinta dias, segundo pesquisa divulgada pelo PROCON MUNICIPAL – Coordenadoria Municipal de Política e Defesa do Consumidor, órgão vinculado à Secretaria do Gabinete Civil da Prefeitura Municipal do Natal. O álcool e o gás natural veicular registram ligeiras variações negativas (-0,25% e -60%, respectivamente). Gasolina comum e aditivada, diesel e gás de cozinha mantém-se estáveis.

A pesquisa foi feita nos dias 17 e 18/11/08 (segunda e terça-feira desta semana) junto a cento e vinte e quatro (124) postos de combustíveis de Natal e de Nova Parnamirim, dos quais sete (07) estavam fechados no dia da pesquisa.

A GASOLINA COMUM está custando R$ 2,666 (média), ou seja, R$ 0,001 abaixo do preço de outubro passado (R$ 2,667). A maioria dos postos (90,5%) manteve os mesmos preços constatados na pesquisa anterior, enquanto 6,0% promoveram redução nos preços, e 3,4% aumentaram os preços.

A diferença entre o maior e o menor preço da gasolina é de apenas 4,61%, equivalendo a aproximadamente R$ 0,12 (doze centavos) por litro. A pesquisa do PROCON MUNICIPAL constatou a ocorrência de apenas doze preços diferentes de gasolina num universo de 116 postos. O menor preço constatado pela pesquisa do PROCON MUNICIPAL foi R$ 2,580 (01 posto) e o maior, R$ 2,699 (01 posto). Os preços mais comuns são R$ 2,690 (43 postos, ou 37,1%) e R$ 2,640 (25 postos).

O ÁLCOOL COMUM custa R$ 1,939, contra os R$ 1,943 de outubro passado (preços médios). Esse preço representa 73% do valor da gasolina, o que significa que não representa vantagem para o consumidor que possui veículo flex, uma vez que o seu gasto com combustível [álcool] será maior do que se utilizasse a gasolina.

Cerca de 70% dos postos mantiveram os mesmos preços de outubro, enquanto 25,2% promoveram redução e 5,2% reajustaram os preços. A diferença entre o maior (R$ 1,999) e o menor preço (R$ 1,750) é de 14,2%, e os preços mais comuns são R$ 1,910 (24 postos) e R$ 1,960 (23 postos). O DIESEL continua custando R$ 2,086/litro (média), mesmo preço de outubro. O preço mais comum é R$ 2,050 (40 postos).

O GÁS NATURAL VEICULAR, que já havia apresentado queda de 0,24% em outubro, registra nova redução (-0,60%), passando de R$ 1,817/m3 (em outubro) para R$ 1,806/m3 agora em novembro. Cerca de 46% dos postos comercializam o GNV ao preço de R$ 1,830/m3. Mais da metade (58%) dos postos manteve os mesmos preços de outubro, enquanto 36% promoveram redução nos preços. O GÁS DE COZINHA continua, em novembro, praticamente, com os mesmos preços de outubro (R$ 33,33 contra R$ 33,31, respectivamente).

Os postos localizados na ZONA SUL registram os mais altos preços médios para o álcool (R$ 1,943) e para a gasolina (R$ 2,672), enquanto nos postos da ZONA LESTE/CENTRO o diesel e o gás natural veicular custam mais caro. Por outro lado, álcool, gasolina e gás natural veicular apresentam menores preços nos postos da ZONA NORTE, enquanto o diesel custa menos na ZONA OESTE.

X