Gafor monta plano de diversificação

Além da operação logística para o setor sucroalcooleiro, o grupo Gafor tem apostado em outros segmentos para diversificar seu faturamento, previsto para ficar em torno de R$ 800 milhões neste ano. Entre eles, Sergio Maggi Jr., um dos herdeiros da Gafor, destaca o condomínio Swiss Park em Campinas e a joint venture com o grupo italiano Fedrigoni para a produção de auto-adesivos.

O condomínio instalado em Campinas, no interior de São Paulo, tem um Valor Geral de Vendas (VGV) estimado em mais de R$ 1 bilhão, sendo que 65% dos lotes já foram vendidos. Segundo Roberto Maggi, também herdeiro do grupo, a área do empreendimento é de cerca de cinco milhões de metros quadrados e deverá receber por volta de 35 mil habitantes quando estiver concluído.

O condomínio, que fica às margens da Rodovia Anhanguera, também possui uma área empresarial, com a previsão de acomodar m! il escritórios. “Era uma antiga fazenda do Bradesco que adquirimos em 2004”, contou.

No caso da sociedade com o grupo Fedrigoni, a Gafor possui 40% do capital da fábrica de auto-adesivos e os italianos o restante. De acordo com Silvio Fagundos, sócio-diretor da Gafor Distribuidora, o início da produção está previsto para outubro.

O investimento na unidade, localizada em Jundiaí, também no interior de São Paulo, foi de R$ 50 milhões. Segundo o executivo, os dois sócios optaram por utilizar capital próprio na fábrica, dispensando financiamentos.

Com a fábrica, a pretensão da Gafor é de fornecer auto-adesivos aos fabricantes de cosméticos, alimentos, medicamentos e bebidas. (GM)

X