Frete deve manter em alta custos para a produção da cana

Apesar de a produtividade da cana-de-açúcar estar em recuperação no Centro-Sul do Brasil, os custos não irão cair na mesma proporção em virtude dos preços mais altos para o frete de cana e de produtos finais, informa a Datagro, em evento nesta quarta-feira, 19, na Sociedade Rural Brasileira (SRB), em São Paulo. Os fretes mais caros devem-se, em parte, às leis da Balança e dos Caminhoneiros e ao reajuste dos combustíveis.

A consultoria informa, ainda, que a prioridade de produção ao longo da temporada deve se voltar ao etanol. Além dos preços baixos do açúcar, o câmbio desvalorizado aumenta a competitividade do biocombustível nacional em relação à gasolina e ao etanol importado.

Produtores do Centro-Sul também tendem a produzir mais etanol para suprir o Nordeste, cuja safra de cana foi prejudicada pela seca. ´Isso também vai trazer oportunidade para importação de etanol dos Estados Unidos para o Norte/Nordeste´, informa a consultoria.

X