Francesa Albioma vai investir 400 mi de euros em biomassa de cana no Brasil

A francesa Albioma planeja investir 400 milhões de muros (528 milhões de dólares) em usinas para a produção de energia elétrica a partir de resíduos de cana-de-açúcar no Brasil e está negociando parcerias com vários produtores de cana.

A Albioma, que tem décadas de experiência em geração de energia elétrica a partir do bagaço em territórios franceses, pode produzir de três a cinco vezes mais energia a partir do bagaço que as usinas de açúcar, disse o presidente-executivo da empresa, Jaquetas Petry, à Reuters.

A empresa francesa, anteriormente chamada de Sechilienne-Sidec, queima cerca de 1,3 milhão de toneladas de bagaço de cana nas ilhas do Oceano Índico Reunião e Maurício e na ilha carrinha de Guadalupe, onde o bagaço é uma parte importante da matriz energética.

Albioma planeja investir 400 milhões de euros na próxima década no Brasil e está negociando com vários engenhos de açúcar sobre a compra de suas plantas.

Petry disse que leva muito tempo para negociar os contratos de longo prazo com os agricultores e usinas de açúcar, mas que o financiamento está disponível por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social(BNDES).

A empresa também tem planos de investir 400 milhões de euros em projetos de biomassa em territórios franceses, incluindo um projeto de 170 milhões de euros de bagaço na Martinica, e 200 milhões de euro em unidades de biogás na França, onde tem 22 projetos em andamento para produzir eletricidade a partir de esterco e outros resíduos agrícolas.

X