Fornecedores brasileiros negociam vendas com usinas de cana da Bolívia

Evento do Projeto Brazil no começo de novembro em São Paulo (Foto: Ozonio Imprensa)

Fornecedores brasileiros do setor sucroenergético negociam vendas com usinas de cana da Bolívia.

Representantes de 24 empresas participam da Missão Bolívia 2018 empreendida pelo Projeto Brazil Sugarcane Bioenergy Solution, parceria entre o Arranjo Produtivo Local do Álcool (Apla) e a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Os fornecedores brasileiros participam de dois eventos na Bolívia. Em Montero, eles estão na Feira de Expositores do XIV Simpósio Técnico da Agroindústria Canavieira Boliviana “Versão Industrial”.

Já em Santa Cruz de la Sierra são visitas técnicas na Unión Agroindustrial de Cañeros S.A (Unagro S/A), Engenho Sucroalcooleiro Aguaí, Engenho Guabirá e Usina San Aurelio. As informações são da assessoria do Projeto Brazil Sugarcane Bioenergy Solution.

Segundo o portal da Apla, as visitas comerciais a Bolívia prosseguem até nesta terça-feira (13/11).

Leia também:

Gestão da mudança para garantir a sustentabilidade das empresas é tema de palestra de Josias Messias na 200ª Reunião do Gerhai

 

Aposta no etanol 

Na Bolívia, o governo investe no etanol para melhorar a qualidade da gasolina. Desde outubro deste ano, postos de serviços passaram a comercializar o Super Etanol 92, com gasolina e etanol.

O novo combustível com 12% de etanol em sua composição foi oficialmente criado em 15 de setembro e, a partir daí, a gasolina passou a oferecer melhor qualidade, maior rendimento e, consequentemente uma vida útil maior dos veículos.

A adoção do novo combustível expande o mercado que se torna ainda mais crescente na Bolívia.

Rodada de negócios no Brasil

Entre os dia 7 a 9/11, o Projeto Brazil Sugarcane Bioenergy Solution promoveu em São Paulo o 7º Business Round Apla/Datagro.

Participaram representantes e proprietários de indústrias, usinas açucareiras, destilarias de álcool, associações e instituições de pesquisa, entidades governamentais, investidores e empresas fornecedoras da agroindústria canavieira vindos da Colômbia, Costa Rica, El Salvador, Equador, Nicarágua e Uruguai.

Segundo a assessoria de imprensa, o projeto alcançou números positivos que chegaram a marca de USD 500 mil em negócios e a expectativa ultrapassa mais de USD 21,5 milhões de possíveis vendas.

“Este ano em São Paulo, os resultados das rodadas foram animadores e a nossa missão de alavancar negócios para o setor sucroenergético brasileiro continuará esta semana na Bolívia onde levaremos fornecedores para encontros comerciais no país”, disse Flavio Castellari, diretor-executivo do Apla. Do Brasil, 30 empresas participam das rodadas de negócios em São Paulo.

X