Feplana entrega documento pedindo a reativação do Proálcool

Os produtores de cana-de-açúcar,representados pela Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), entregaram dia 9 de julho um documento ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral, um documento pedindo a reativação do Proálcool. O governo está disposto a reativar o programa, segundo a assessoria do ministério, desde que o setor sucroalcooleiro se comprometa com o abastecimento do produto no mercado interno mesmo quando os preços do açúcar no exterior estiverem mais atraentes, o que estimula o desvio de produção.

Presidida por Antônio Celso Cavalcanti de Andrade, a entidade representa hoje 60 mil produtores de cana em todo o País.

Segundo assessoria do ministério, uma das propostas que evitaria o desvio da produção do álcool para açúcar é a utilização da alíquota da Contribuição de Intervenção de Domínio Econômico (Cide) para regular os preços do álcool e da gasolina. A Cide é cobrada sobre a gasolina e a alteração da alíquota serviria, quando houvesse muita oferta de álcool, para encarecer o preço da gasolina, estimulando o maior consumo de álcool. O tributo seria reduzido quando a oferta de álcool fosse menor.

Feplana entrega documento pedindo a reativação do Proálcool

Os produtores de cana-de-açúcar,representados pela Federação dos Plantadores de Cana do Brasil (Feplana), entregaram dia 9 de julho um documento ao ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral, um documento pedindo a reativação do Proálcool. O governo está disposto a reativar o programa, segundo a assessoria do ministério, desde que o setor sucroalcooleiro se comprometa com o abastecimento do produto no mercado interno mesmo quando os preços do açúcar no exterior estiverem mais atraentes, o que estimula o desvio de produção.

Presidida por Antônio Celso Cavalcanti de Andrade, a entidade representa hoje 60 mil produtores de cana em todo o País.

Segundo assessoria do ministério, uma das propostas que evitaria o desvio da produção do álcool para açúcar é a utilização da alíquota da Contribuição de Intervenção de Domínio Econômico (Cide) para regular os preços do álcool e da gasolina. A Cide é cobrada sobre a gasolina e a alteração da alíquota serviria, quando houvesse muita oferta de álcool, para encarecer o preço da gasolina, estimulando o maior consumo de álcool. O tributo seria reduzido quando a oferta de álcool fosse menor.

X