Faturamento do setor de máquinas sobe 15,7% em setembro

O faturamento da indústria brasileira de máquinas e equipamentos teve alta de 15,7% em setembro, em relação a agosto. O saldo é de R$ 7,94 bilhões, segundo dados divulgados ontem (5) pela Abimaq (Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos).

Os setores que mais cresceram no período foram os de máquinas agrícolas (48,7%), bombas e motobombas (35,2%) e bens sob encomenda (27,6%). As maiores quedas foram verificadas no segmento de têxteis (-25,2%) e gráficas (-26,2%).

Segundo o presidente da Abimaq, Luiz Aubert Neto, os efeitos da crise de liquidez serão mais sentidos a partir de 2009, porque as encomendas são entregues no prazo médio de três meses, sendo assim, o setor já está compromissado até o fim do ano.

Luiz Albert afirma que as empresas compradoras de bens de capital nos segmentos de petróleo, gás, siderurgia, papel e celulose estão mantendo seus pedidos. Já no setor de açúcar e álcool, têm feito pedidos de adiamento de 90 dias para a entrega de equipamentos e até mesmo cancelamentos.

“O faturamento do setor não deve ser muito diferente até o fim do ano, pois temos uma carteira de pedidos até janeiro. O grande problema é a entrada de novos pedidos”, disse. Segundo ele, o segmento agrícola será bastante afetado pela crise, pois depende de crédito para adquirir máquinas e equipamentos e também tem sido prejudicado pelo preço em queda dos produtos agrícolas.

X