Farina diz que indecisão pode prejudicar aumento da mistura

Ideal seria que a decisão tivesse saído logo no início do ano
Ideal seria que a decisão tivesse saído logo no início do ano

Para Elizabeth Farina presidente da Unica – União da Indústria de Cana-de-Açúcar, o prazo de três meses estipulado pelo governo para o período de testes que viabilizem o aumento de etanol anidro na gasolina – de 25% para 27,5% – pode prejudicar os resultados da medida. “A essa altura, o produtor vai dizer que já colheu mais da metade da safra”, disse ela, lembrando da questão do mix de produção.

Na última semana, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que os testes vão analisar os veículos aptos a receber maior volume de anidro na mistura, questões sobre emissões de gases, impacto sobre as peças dos veículos, além do nível de consumo de combustíveis.

De acordo com Farina, o ideal seria que a decisão tivesse saído logo no início do ano, antes do início da safra, como aconteceu no último ano, quando o percentual foi alterado neste período e os produtores puderam se programar para a colheita ao longo do ano.

X