Faltando 3 dias, agosto já bateu recorde de importação

O mês de agosto ainda nem acabou e já bateu recorde de importações. Até a quarta semana do mês, as compras no exterior chegaram a US$ 6,438 bilhões, o maior volume desde o início da série histórica, em 1998. As importações deverão crescer ainda mais, pois falta contabilizar os três últimos dias do mês.

Apenas na quarta semana, as importações totalizaram US$ 1,729 bilhão, também o maior valor semanal desde 1998.

Na média, as importações foram de US$ 321,9 milhões por dia este mês, 26% acima da média de agosto de 2004, quando foi de US$ 255,5 milhões. As compras no exterior foram puxadas pelos produtos siderúrgicos, que cresceram 48%. Destaque ainda para combustíveis e lubrificantes, com 37,3%, e veículos e partes, com 35,6%.

O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, já disse que sua expectativa é de que as importações cheguem a US$ 7 bilhões em agosto. Ele tem dito, também, que o aumento das compras do Brasil no exterior não é um fato negativo, pois se concentram em máquinas e equipamentos, reflexo de investimentos feitos no País.

Na quarta semana de agosto, a balança comercial brasileira registrou exportações de US$ 2,702 bilhões e importações de US$ 1,729 bilhão, resultando em superávit de US$ 973 milhões. A média diária das exportações em agosto, de US$ 494,7 milhões, superou em 20,2% a de agosto de 2004, de US$ 411,6 milhões, puxada pelos embarques de básicos e manufaturados.

EMPRESAS

As micro e pequenas empresas representam mais da metade do número de exportadores brasileiros, segundo o Ministério do Desenvolvimento. Dos 20.902 estabelecimentos que exportaram em 2004, 10.790 são de pequeno porte. As médias empresas ocupam a 2ª posição, com 25,1%, o que equivale a 5.254 estabelecimentos, seguidas pelas grandes empresas, com 20,2% (4.213 empresas), e pessoa física, com 3,1% (645). Hoje, o ministro Furlan vai presidir uma reunião do Fórum das Microempresas e Empresas de Pequeno Porte que marca a retomada dos trabalhos para capacitar novas empresas a entrar no mercado externo.

Embora sejam maioria, a representatividade das micro e pequenas empresas nas exportações é corresponderam a 2,6% em 2004, ante 8,1% das médias e 89% das grandes. Os valores médios de exportação por empresa elevaram-se de US$ 183 mil em 2003 para US$ 237 mil em 2004, para as micro e pequenas; de US$ 1,03 milhão para US$ 1,49 milhão, para as médias; e de US$ 15,54 milhões para US$ 20,38 milhões, para as grandes.

X