Exportação de açúcar deve cair este ano

As exportações de açúcar do Brasil em 2003 deverão ficar abaixo do que o País vendeu

para o mercado internacional no ano passado. Segundo Eduardo Pereira de Carvalho, presidente da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica), o volume de exportações em 2002 chegou a 13 milhões de toneladas. Para este ano, as exportações devem ficar em torno de 12,2 milhões de toneladas de açúcar.

Carvalho afirma, porém, que a queda no volume destinado ao mercado internacional ocorre no volume de açúcar que será utilizado para a produção de álcool. “Em 2002, nossas exportações renderam acima de US$ 2 bilhões. Neste ano, a renda será um pouco menor pois vamos produzir mais álcool para o consumo interno”, explica o presidente da Unica, que está em Genebra participando da reunião de produtores de açúcar de todo o mundo. Dados do setor apontam que a produção de cana-de-açúcar poderá aumentar em até 14% neste ano.

Apresentando o menor custo de produção de açúcar do mundo, o Brasil ocupa cerca de um terço do mercado mundial do açúcar e é o maior exportador do produto. Mas os representantes das empresas garantem que se as barreiras comerciais nos países ricos fossem eliminadas, o Brasil poderia exportar outros 6,5 milhões de toneladas, arrecadar mais U$ 1 bilhão e criar cerca de 100 mil novos empregos.

Para conseguir ampliar esse mercado, os produtores e representantes dos governos do Brasil, Austrália e Tailândia se reúnem amanhã (1) em Genebra para fechar os últimos detalhes da queixa que levarão à Organização Mundial do Comércio (OMC) contra os subsídios dados pelos europeus. “Estamos na reta final das preparações”, afirmou Carvalho, que explica que resultados de uma eventual vitória para as exportações nacionais somente começarão a ser sentidos em dois ou três anos.

X