EXCLUSIVO: CMAA negocia a compra de usinas de cana

cA Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA), controladora da unidade Vale do Tijuco, em Uberaba (MG), vai às compras.

O Portal JornalCana apurou que gestores da companhia sucroenergética estão entre os que negociam a aquisição da usina de cana CEAA-ADM, controlada pela americana Archer Daniels Midland (ADM) em Limeira do Oeste (MG).

 

A negociação não foi finalizada, mas conforme apurado pelo Portal, também não foram canceladas.

Leia mais: Saiba quem negociou a compra da usina da ADM

Além da usina da ADM, que ficou sem moer em 2015, a CMAA trabalha com bancos que oferecem unidades sucroenergéticas para venda. O foco de compra da controladora da usina Vale do Tijuco são unidades localizadas em Minas Gerais, mas também no Mato Grosso.

Leia mais: Usina Vale do Tijuco aumenta o capital em R$ 100 milhões

Quem é a CMAA

A CMAA é uma companhia aberta registrada na CVM e foi criada para ser um polo de 3 usinas de etanol, açúcar e energia com moagem total de 12,9 milhões de toneladas ano.

Está localizada em uma região próxima aos grandes centros consumidores (no Triângulo Mineiro). Atualmente está em operação a Usina Vale do Tijuco, no município de Uberaba (MG), que foi projetada com capacidade total de processamento de cana de 4,0 milhões de toneladas e de exportação de até 210 MW.

Esta planta iniciou sua primeira safra em abril/2010 com uma moagem de 1,2 milhões de toneladas, estando em 2011 na segunda safra, com uma moagem de 1,66 milhões de toneladas de cana, produzindo açúcar VHP, etanol anidro, etanol hidratado e energia elétrica.

Na safra 2013/2014, a moagem foi de 3,026 milhões de toneladas e para a safra 14/15 um total de moagem de 3,511 milhões de toneladas. A moagem total da safra 15/16 foi de 3,703 milhões de toneladas.

Quem controla a CMAA

A CMAA tem oficialmente 50% do controle com a companhia Indofood Agri, da Cingapura. A aquisição de meta do controle acionário da companhia com sede em Minas Gerais foi feita em 2013.

O valor da negociação foi de R$ 143 milhões.

Conforme a Indofood Agri, sua participação na companhia sucroenergética é através de joint-venture.

X